Mr Claytonet 20666 – O Vereador Digital CiberAtivista e Motociclista

Mr Claytonet 20666

Mr Claytonet 20666 – O Vereador Digital CiberAtivista e Motociclista
http;//mrclaytonet.vereador.site
Pelo progresso de nossa cidade chega de ser ultrapassado por outras cidades mineiras em desenvolvimento, chega de atraso. Sou Barbacenense a vida toda e nunca vejo nossa cidade progredir ta na hora de ter alguem que realmente não tem medo de lutar pelo progresso e o povo na camara municipal de Barbacena essa pessoa sou eu Mr Claytonet 20666 – O Vereador Digital CiberAtivista e Motociclista.
http://mrclaytonet.vereador.site
Assista este video:https://www.facebook.com/mrclaytonet/videos/1400996586582682/?hc_location=ufi

Porque escolhi o numero 20666?
Por causa do Route 66 MC 🙂

CONECTIVIDADE SOCIAL ICP E CMT – CAIXA

CONECTIVIDADE SOCIAL ICP E CMT – CAIXA

 
O site da Caixa apresenta problemas no acesso às telas de que dependem de Certificado Digital.
 
Para solucionar o problema é necessário ter o Java instalado e ajustar as configurações da Internet, adicionando aos sites confiáveis os endereços a seguir.
 
Passos:
  • Ferramentas;
  • Opções de Internet;
  • Guia Segurança;
  • Clique no botão Sites Confiáveis;
  • Clique no botão sites;
Será apresentada a tela a abaixo, onde nesta deve-se:
  • Desmarcar a caixa “Exigir Verificação….”
  • Adicionar os sites conforme tela exemplo;
  • Confirmar em todas as Janela.
Depois dos passos acima é só testar o acesso;
Em alguns casos é necessário também redefinir as configurações do Internet Explorer em:
  • Ferramentas;
  • Opções de Internet;
  • Guia Avançadas;
  • Clique no botão Restaurar Configurações Avançadas;
  • Clique no Redefinir;
  • Confirmar todas as janelas;
  • Fechar o Navegador e abrir novamente.
Fonte: Informações passadas através do 0800 do Suporte da Caixa.

=========================================================

Caso não funcionem os procedimentos acima tente usar os sites abaixo para acesso a Conectividade:
 

Erro 429: Envio RE arquivo SEFIP pelo Conectividade Social

Erro :429 – ActiveX componente can’t create object

Erro.JPG

Solução:
 

Bom dia, eu trabalho com manutenção de pc’s e presto serviço pra vários escritórios de contabilidade e sempre me deparei com esse mesmo problema ao trocar o Windows XP pelo Windows 7, depois de muito quebrar a cabeça e revirar a internet, descobri a melhor maneira de consertar esse problema. Lembrando que li muita ajuda informando que depois de alguns ajustes, seria necessário desinstalar e reinstalar os referidos programas e/ou reiniciar o computador. Fiz em varias máquinas sem a necessidade de reinstalar ou reiniciar, vamos a solução:

Se já encontrou erro ao rodar o programa, resolve assim: clique com o botão DIREITO do mouse no ícone da Conectividade Social que está na área de trabalho, vá em propriedades, depois compatibilidade e marque a caixa “executar este programa como administrador”, dê ok e pronto.

 

SOLUÇÃO (erro 429…): o programa “conectividade” precisa está fechado no procedimento abaixo

 

* copie o arquivo “cnsselo.dll” que se encontra na pasta c:/arquivos de programas/caixa/SEFIP ou c:/ programs files/caixa/SEFIP

 

* cole o arquivo “cnsselo.dll” na pasta c:\windows\system32 e tambem cole na pasta “CNS” – onde está instalado a conectividade social, que fica em c:/arquivos de programas/caixa/CNS/ ou c:/ programs files/caixa/CNS/

 

*ainda dentro da pasta “CNS” clique no botão DIREITO do mouse e execute como administrador o seguinte arquivo: “CNSComReg” e boa sorte.

!!Atualização!! Problema Java: Processando… A applet não está carregada! **** ou **** 001 – Erro na assinatura do envelope XML

Após atualização do Java para nova versão alguns computadores começaram a emitir as mensagens das figuras abaixo.

ou

Sem que as applets Java sejam carregadas não é possível utilizar o componente assinador e as NFSEs não são geradas.

Para sanar o problema, recomendamos:

  1. Desinstalar as versões anteriores do Java;
  2. Limpar o cache do seu navegador (https://www.java.com/pt_BR/download/help/webcache.xml) e fechá-lo em seguida;
  3. Na guia “Avançado” do painel de configuração do Java, marcar a opção “Listas de Revogação de Certificado (CRLs), no grupo “Verificar a revogação do certificado TLS usando”;
  4. Limpar o cache do Java;
  5. Setar o nível de segurança do Java para “Alto”;
  6. Restaurar os prompts de segurança do Java (https://www.java.com/pt_BR/download/help/restore_prompts.xml)
Para efetuar os passos 3, 4 e 5, siga as imagens abaixo:
1) No Windows, abra o menu “Iniciar” e entre no Painel de Controle;
2) Dentro do Painel de Controle, pesquise por “java” e abra o aplicativo de configuração que é exibido;

3) Na aba “Avançado” do Java, execute o passo 3 e clique em “Aplicar”

4) Na aba “Geral” do Java, faça o procedimento de limpeza do cache (passo 4), conforme as figuras abaixo;

5) Na aba “Segurança”, execute o passo 5;

Adicionalmente, se o seu token (tipo A3)  for da Safenet , siga as instruções da página 8 à 10 do Manual de Configuração ESEC.

Após realizar todas as configurações acima, insira o seu token na entrada USB do computador ou o cartão eCNPJ na leitora (caso seu ceritfiicado for do tipo A3) e acesse os seguintes links (APÓS REINIICAR O SEU NAVEGADOR!):

Ao acessar os links citados, clique em “Configurações do Certificado Digital” e selecione a opção com a qual está trabalhando, confome instruções da página 2 à 6 doManual de Configuração ESEC . Caso surja uma janela solicitando a sua autorização para executar o Java, dê a permissão.

Finalmente, teste a assinatura ao clicar no botão “Assinar”.

Se obtiver como resposta a figura abaixo já estará apto para realizar o Cadastramento com Certitificado digital e/ou a Emissão de NFSE.

Qual a melhor alternativa para o fim do emissor de NFe gratuito da SEFAZ?

Logo SDCXA Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo informou que irá descontinuar seus sistemas gratuitos para a emissão de Nota Fiscal Eletrônica (NF-e) e do Conhecimento de Transporte (CT-e). Em dia 1º de Janeiro de 2017, o download do emissor gratuito já não será mais oferecido. A partir desta data, também não serão feitas novas atualizações, o que dificulta a vida de quem já baixou e utiliza o aplicativo.

O jeito é procurar outra alternativa para continuar emitindo NF-e, sem deixar que a sua empresa seja prejudicada ou multada. Felizmente, o objetivo deste post é ajudá-lo com isso. Continue lendo!

Por que o emissor da SEFAZ está com os dias contados?

Uma pesquisa feita pela própria SEFAZ apontou que grande parte dos empresários migrou para outros emissores, mais completos e integrados com outros softwares, e este foi um dos motivos pelos quais a Secretaria optou por descontinuar o sistema.

Ainda assim, a notícia pegou muita gente de surpresa e causou burburinho entre os usuários do emissor de NFe gratuito. Isso porque a emissão de notas fiscais é obrigatória para as empresas (exceto MEI em alguns Estados brasileiros) e o trabalho não pode ser interrompido.

Qual a melhor alternativa para emitir NFe?

A SEFAZ recomendou que seus usuários comecem a procurar outras soluções desde já. Isso porque mesmo quem já tem o sistema instalado em seu computador terá o uso prejudicado caso haja alguma alteração nas regras de validação da NF-e e CT-e a partir de 1º de Janeiro de 2017.

Portanto, a melhor alternativa é buscar outro emissor o quanto antes. Tomar essa iniciativa agora vai facilitar a sua rotina e garantir que você não deixe de cumprir a legislação vigente, algo que pode comprometer até mesmo o orçamento da sua empresa. Uma dica é procurar o seu escritório de contabilidade para indicações de outro sistema para emissão de NF-e.

Depois de tomar a sua decisão, será preciso seguir alguns passos:

1 – Credenciar o seu novo emissor junto à SEFAZ do seu Estado.

Geralmente, este cadastro é bem simples e pode ser feito através do site da Secretaria da Fazenda. Seu contador poderá te orientar melhor sobre este tema.

2 – Conferir a validade do seu Certificado Digital.

O Certificado Digital é essencial para emissão de notas fiscais eletrônicas e você precisará migrá-lo para seu novo sistema. Caso ainda não tenha ou precise renovar este documento, procure uma Certificadora autorizada pela ICP (Autoridade de Chaves Públicas).

3 – Cadastrar as informações da sua empresa no novo emissor.

Para começar a emitir suas notas fiscais eletrônicas com outro software, você precisará preencher as informações da sua empresa, como CNPJ, Inscrição Estadual, Regime Tributário e afins. Isso pode variar de acordo com o emissor, mas a regra geral é a mesma.

Emissor de NF-e da SDCX

A SDCX oferece uma alternativa fácil de usar e de entender para gerar NF-e, NFS-e e NFC-e. O software, chamado SDCX NF-e, não exige instalação no computador do usuário (é online e pode ser acessado de qualquer lugar, através da Internet) e não possui limite para emissão de notas. Em média 5x mais rápido que o emissor gratuito da SEFAZ, o SDCX NF-e ainda faz o cálculo automático de valores e impostos, oferece backup das NFe emitidas por até 5 anos e tem suporte.

Temos ainda todos os Sistemas Alterdata Software

logo alterdata
Parceiros

Quer saber mais sobre o SDCX NF-e? Ligue para 32 98808-4792 ou acesse www.sdcx.com.br e conheça nossos sistemas!

DINHEIRO DE VOLTA – SETE SITUAÇÕES QUE O CONSUMIDOR TEM DIREITO!

Frustrações, compras por impulso, defeitos no produto e danos materiais ou morais são apenas algumas situações que levam o consumidor a buscar seus direitos de ser ressarcido!

Neste post você vai conferir sete situações corriqueiras em que o consumidor precisa ficar esperto pois tem o direito ao ressarcimento com seu dinheiro de volta!

10 atualizado

# Dinheiro de Volta ao Comprar pela Internet

Esta situação é chamada de direito de arrependimento ou prazo de reflexão de sete dias.

Toda compra realizada pela internet, por telefone ou em domicílio é protegida pelo arrependimento!

O cliente que comprou por impulso tem o direito de desistir da compra, dentro do prazo de sete dias a partir da entrega, devolvendo o produto e pegando seu dinheiro de volta!

Neste caso, não poderá ser cobrado por eventuais despesas de frete ou devolução do produto!

Também não é obrigado a apontar o motivo da desistência.

O risco é do vendedor!

# Produto com Defeito e o Direito ao Ressarcimento

Quando o produto:

  • possui defeito e não é possível o reparo,
  • ou a assistência técnica não consegue efetuar o conserto no prazo máximo de 30 (trinta) dias;

o cliente tem o direito de ser ressarcido!

Poderá exigir:

  • A substituição do produto por outro novo!
  • Ou o dinheiro de volta devidamente atualizado!

Observe que o vendedor tem o direito de efetuar o conserto quando é possível!

Contudo, se o conserto não é possível porque causará uma desvalorização patrimonial, porque não há peças de substituição, ou porque o vendedor não consegue cumprir o prazo de 30 (trinta) dias para efetuar o conserto, o consumidor tem direito ao dinheiro de volta!

# Imóvel na Planta e a Desistência do Comprador

Quando o consumidor perde o interesse na compra do imóvel na planta por fato relevante de culpa da construtora (atraso na obra, defeito construtivo, área contaminada, etc.) tem o direito ao ressarcimento integral do que pagou, com correção monetária e juros!

Terá direito também ao ressarcimento de danos materiais e morais, se configurados!

No caso do comprador desistente por motivos pessoais, como por exemplo a não aprovação do financiamento imobiliário ou situações de desemprego, a construtora não poderá reter tudo o que o comprador pagou como penalidade.

A construtora poderá reter o percentual de 10% a 25% dos valores investidos para ressarcimento de despesas e como penalidade ao consumidor desistente.

O consumidor terá direito ao ressarcimento do valor restante, no percentual de 75% a 90% do que pagou, devidamente atualizado!

12433-NO8F0V

# Dinheiro de Volta no Imóvel na Planta – Honorários de Corretagem e Taxa SATI

Ao comprar imóvel na planta em “stand de vendas” o consumidor se depara com a cobrança de honorários de corretagem e da taxa SATI por suposta assessoria imobiliária.

Ocorre que estas cobranças constituem “venda casada” e o Poder Judiciário tem entendido que o consumidor possui direito ao dinheiro de volta, devidamente atualizado!

Por esse motivo, é significativo o número de consumidores que recorrem à Justiça e conseguem o ressarcimento desses valores!

# Golpe do Boleto Bancário e Dinheiro de Volta

Para aqueles que caíram no golpe do boleto bancário, sendo enganados ao pagar um boleto cujos valores não foram encaminhados ao vendedor, é bom ficar atento e fazer uma análise da situação!

É possível buscar a responsabilidade tanto da loja como do banco que emitiu o boleto!

O consumidor poderá ter seu dinheiro de volta ao provar culpa grave do banco ou da loja abrindo conta corrente a um estelionatário ou permitindo que criminosos tivessem acesso a dados confidenciais do consumidor!

# Saidinha de Banco e Dinheiro de Volta

O consumidor vítima de assalto dentro ou fora da agência bancária na famosa“saidinha de banco” tem o direito de ser ressarcido pelo banco!

O banco possui responsabilidade pela segurança do consumidor e o sigilo de suas informações pessoais!

Se houve sigilo violado com comunicação do valor do saque a criminosos conclui-se que o banco não forneceu a segurança necessária e o cliente tem direito ao dinheiro de volta, referente ao assalto!

Também possui direito ao ressarcimento de outros danos, como o dano moral ou de eventuais sequelas da violencia que o impeçam de trabalhar ou levar uma vida normal!

# Fraudes e Descontos Indevidos

O consumidor vítima de descontos indevidos em sua conta corrente ou cartão de crédito, de fraudes ao utilizar caixa eletrônico ou de um estelionatário, recebendo cobranças que não reconhece, tem o direito de ser ressarcido!

Quando a loja, instituição financeira, seguradora, empresas de telefonia, etc., aceitam que um estelionatário use o seu nome abrindo conta corrente ou autorizando a contratação de serviços cometem um erro grave!

O consumidor tem o direito de ser ressarcido dos valores indevidamente pagos e eventuais danos morais da cobrança com constrangimento.

marketing

Conclusão:

Estas sete situações são apenas alguns dos fatos corriqueiros que dão ao consumidor o direito de ser ressarcido, com dinheiro de volta!

Se você é vítima de cobrança indevida, fraude ou golpe fique atento e busque apoio para que tenha o ressarcimento integral!

Lembre-se que os Direitos do Consumidor estão a seu favor!

Será o fim das impressoras fiscais?

Será o fim das impressoras fiscais?

Primeiramente vamos conhecer as tecnologias disponíveis no Brasil para emissão de cupom fiscal.

Emissor de Cupom Fiscal (ECF) é um equipamento de automação comercial sujeito às regras estabelecidas na legislação. Comumente denomina IMPRESSORA FISCAL. Neste caso é válido Convênio 85/01.

Impressora Fiscal Bematech MP-4000 TH FI
Impressora Fiscal Bematech MP-4000 TH FI
Projeto SAT é um módulo composto de hardware e software embarcados que visa a substituição dos atuais ECFs. Esse equipamento gera e autentica os CF-e-SAT, e por intermédio da internet transmite periodicamente à Secretaria da Fazenda.

MFB trata-se de um ECF dotado de Modulo Fiscal Blindado, que recebe comandos de Programa Aplicativo Fiscal. É uma impressora fiscal que envia dados automaticamente para os servidores do Fisco. Conforme Convênio 09/09.

NFC-e ou Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica é o projeto que está substituindo o tradicional Cupom Fiscal emitido por ECF e a Nota Fiscal de venda a consumidor.

Vários estados estão adotando a NFC-e que é uma evolução do atual ECF. É certo que em breve todos os estados farão sua adesão. Minas Gerais, Espírito Santo, Alagoas, Santa Catarina e Ceará liberaram  o uso das MFBs recentemente e provavelmente serão os últimos a aderirem, dando sobrevida de mais alguns anos  às impressoras fiscais.

Gerador de codigo de barras gratis

É comum que as pequenas empresas/lojas que comercializam ou mesmo fabricam seu produto, no começo, tenham um controle mais manual de toda sua operação. Mas com o aumento do volume de vendas, ou mesmo do mix dos produtos, esse controle deve obrigatóriamente ser mais automático para evitar erros e consequentemente prejuizo, e utilizar código de barras é uma das melhores maneiras de se fazer isso.

O sistema de código de barras aumenta muito a segurança na hora de controlar o estoque, alem de automatizar o faturamento dos produtos no ponto de venda. Resumidamente, se a empresa possui o código de barras de cada produto, o leitor e a impressora de código de barras e a impressora fiscal ou não fiscal, o faturamento torna-se praticamente automático, bastando ler o código de barras dos produtos e emitir o cupom fiscal ou DANFE dependendo do caso.

Existem muitas maneiras de se gerar código de barras e uma delas é a que apresentaremos agora. Um software gerador de codigo de barras bastante simples de se utilizar. Veja abaixo a interface do programa:

gerador de codigo de barras gratis

No campo ENTER TEXT o usuário digita o conteúdo do código de barras. No campo ao lado, seleciona o tipo de código de barras a ser utilizado. Para produtos, utilize o tipo EAN13. Existem ainda os campos de configuração de tamanho, largura e posição e se o código vai conter dígito verificador ou não.

Na parte de baixo, os botões para impressão do código, salvar como imagem e copiar o código para colar em outro programa, por exemplo. Esse software não gera conteúdo aleatório ou serial para o código de barras, mas existem outros softwares pagos que incluem essa opção. Como aqui estamos tratando hipotéticamente de uma pequena empresa, com poucos produtos, a geração manual do código seria a tarefa menos automática de toda a operação, mesmo assim, a agilidade no controle de estoque ainda seria muito grande.

>>DOWNLOAD GERADOR DE CODIGO DE BARRAS GRATIS

Faça o teste dessa solução

Emissor NFe Erro 387 – Rejeição Código de Enquadramento Legal do IPI Inválido

Erro 387 – Rejeição do enquadramento Legal do IPI inválido

Para quem utiliza o software emissor de NFe gratuito da fazenda pode estar tendo dificuldades com a emissão da Nota Fiscal Eletrônica a partir do final de 2015.

Muitos não sabem, mas a Fazenda emitiu uma Nota Técnica 2015/002 em que constam alterações no Código de Enquadramento Legal do IPI.

Esta alteração está causando erro após a assinatura e envio da Nota Fiscal Eletrônica. Ocorre um erro “387 – Rejeição: Código de Enquadrameto Legal do IPI inválido”

Erro 387 - Rejeição do enquadramento Legal do IPI inválido

Erro 387 – Rejeição do enquadramento Legal do IPI inválido

Para empresas optanes pelo Simples Nacional e MEI

Estas empreeesa utilizavam o Código 09 ou 99, a partir de agora, o Código de enquadramento do IPI será 999.

Para as demais empresas

As principais mudanças do Anexo XIV são que para as notas fiscais emitidas com o CST dos IPI(s)

  • 50 – Saída não tributada
  • 51 – Saída tributada a alíquota zero
  • 99 – Outras saídas

O Código de enquadramento do IPI será 999.

Os demais códigos tem que ser consultado nas Notas Técnicas

O Erro no software emissor de Nota Fiscal Eletrônica

Costumo comentar casos de clientes com vocês, coisas que vivenciei. Neste caso, a empresa era MEI – Micro Empreendedor Individual, que é uma extensão do Simples Nacional e estava tendo o erro 387 de rejeição, não conseguindo emitir a NFe, pois estava usando o código 09.

Ao mudar para o 999 a transmissão da NFe foi feita com sucesso.

Correção do Erro 38 - Código do Enquadramento Legal do IPI

Correção do Erro 38 – Código do Enquadramento Legal do IPI

A imagem não está muito clara, pois a nota ja foi transmitida e o DANFE já foi liberado 😛

Agora, sem desculpas pessoal. Vamos faturar !!!

Backup manual do Emissor de NFe

Backup manual do Emissor de NFe

Backup emissor NFe

Venho compartilhar uma dica muito valiosa com você. Como fazer um Backup completo do Software Emissor de Nota Fiscal Eletrônica fornecido gratuitamente pelo Estado.

Existe a forma usual de efetuar este backup, que provavelmente você já viu em outros sites e blogs, mas o que falarei aqui não é isto. Aqui ensinarei a tirar uma cópia manual de todo o sistema de forma simples.

A forma usual é você acessar o programa emissor de nota fiscal eletrônica, acessar o MENU SISTEMA, depois a opção BACKUP e iniciar o processo.

Mas muitas vezes, como o programa emissor NFe é baseado em JAVA, o programa não abre, quando o computador ou o Java deu algum problema e não inicia. Neste caso precisamos acessar os arquivos diretamente.

O software emissor utiliza um sistema de banco de dados por padrão e armazena todos os dados da NFe (emitente, produtos, notas, etc) em uma pasta. Esta pasta está situada em C:\DATABASE.

Então a dica é esta, quando você for trocar de computador, ou seu computador estiver com problema e nem ao menos inicia, ou simplesmente você quer ter um backup atualizado do emissor de nota fiscal eletrônica do sefaz, você copia diretamente para um pendrive, compacta e envia por email, ou qualquer outra forma.

O importante é copiar a pasta DATABASE inteira, que está no C:\

Após isto, você pode pegar um computador completamente novo, colocar a pasta DATABASE no C:\ deste novo computador, instalar o Java (http://www.java.com/), acessar o portal do emissor de NFe (http://www.emissornfe.fazenda.sp.gov.br/) e acessar o emissor que você terá todas as suas notas, produtos, emitente e tudo mais que estava configurado em seu computador antigo.

Espero que gostem da dica.

Um abraço e até a próxima.