Mr Claytonet 20666 – O Vereador Digital CiberAtivista e Motociclista

Mr Claytonet 20666

Mr Claytonet 20666 – O Vereador Digital CiberAtivista e Motociclista
http;//mrclaytonet.vereador.site
Pelo progresso de nossa cidade chega de ser ultrapassado por outras cidades mineiras em desenvolvimento, chega de atraso. Sou Barbacenense a vida toda e nunca vejo nossa cidade progredir ta na hora de ter alguem que realmente não tem medo de lutar pelo progresso e o povo na camara municipal de Barbacena essa pessoa sou eu Mr Claytonet 20666 – O Vereador Digital CiberAtivista e Motociclista.
http://mrclaytonet.vereador.site
Assista este video:https://www.facebook.com/mrclaytonet/videos/1400996586582682/?hc_location=ufi

Porque escolhi o numero 20666?
Por causa do Route 66 MC 🙂

Visão Periférica na Pilotagem

Visão periférica

Perigo à vista

Visão periférica

A muito venho falando a respeito de visão periférica e fixação da visão em um ponto como fatores importantes na pilotagem de uma Motocicleta.
A visão periférica deixa seu celebro em constante atividade e pronto para respostas imediatas, pois a mensagem da visão que chega até ele é instantânea assim como o seu reflexo nas respostas, além disso, em longos trechos e sob sol forte, concorrerá diretamente para minimizar a sonolência e evitar que você durma ao guidom.
Fixar a visão em determinado ponto, além de anular a visão periférica, seu celebro só reagirá ao que sua visão “diz” a ele. Fixar a visão não só anula a visão periférica, anula também seus outros sentidos, principalmente a audição.
Quem pensa que isso não é importante ou até mesmo que não existe, faça um teste bastante simples e seguro: Embarque em um veleiro, se instale na proa da embarcação protegido pelo guarda-mancebo e peça ao comandante que navegue no contravento apertado. Feito isso, escolha qualquer ponto fixo no horizonte de terra e fixe sua visão nele. Em pouco tempo ficará tonto e sonolento. Ah! Não se esqueça de ter um balde junto a você e na hora de usá-lo, porque vai, faça isso a sotavento.
Retornei ao assunto porque ainda hoje vejo que isso ocorre e para corroborar com o que já havia dito, encontrei no www.rockriders.com.br um excelente artigo sobre o tema. Vejamos:
A cegueira de movimento no motociclismo
Pilotos militares recebem instrução sobre cegueira de movimento durante o treinamento porque ela ocorre em velocidades mais altas e, até certo ponto, isto é aplicável a motociclistas também…
Os pilotos são instruídos a alternar o olhar entre varrer o horizonte e o painel de instrumentos quando em vôo, e nunca fixá-lo mais que alguns segundos num único objeto. Eles são orientados a manter a cabeça como se ela estivesse montada numa rótula e a movimentar os olhos continuamente.
Isso porque quando se está em movimento, fixar o olhar num objeto por algum tempo faz a visão periférica sumir. Essa é a razão desse fenômeno ser chamado de cegueira de movimento.
Num acidente em que uma moto pilotada rapidamente atinge um veículo mais lento saindo de uma via transversal, os motociclistas geralmente afirmam não terem visto o veículo vindo da direita ou da esquerda. Eles não estão mentindo, apenas não viram realmente o outro veículo, mesmo à plena luz do dia, devido a cegueira de movimento.
Desse modo, nós motociclistas precisamos estar atentos a este importante detalhe ao pilotar nossas motocicletas.
Até cerca de três décadas atrás, esta técnica de “cabeça numa rótula & olhos se movimentando” era a única maneira de avistar outros aviões por perto. Hoje, os pilotos contam com radares, sensores e os mais modernos equipamentos de detecção, mas a velha técnica ainda tem utilidade.
Participe de uma pequena demonstração da cegueira de movimento.
É a mesma usada para pilotos em treinamento na salas de simulação antes mesmo que cheguem perto de um avião.
No link abaixo, vê-se um conjunto de cruzes azuis sobre um fundo preto.
Há um ponto verde piscando no centro e três pontos amarelos fixos à volta dele. Se fixarmos o olhar no ponto verde mais que alguns segundos, os pontos amarelos desaparecerão aleatoriamente, isolados ou em pares, ou os três de uma vez. Na verdade, os pontos amarelos estão sempre lá.
Confira em http://www.msf-usa.org/motion.HTML
ANTES de fazer o teste, observe os pontos amarelos por algum tempo para você ter certeza de que não foram parar em algum lugar, que são constantes.
Assim, se estivermos dirigindo em velocidade numa rodovia e fixarmos o olhar na estrada à frente ou em qualquer outro ponto ou objeto, poderemos não ver um carro, uma moto, uma bicicleta, uma vaca ou um ser humano vindo de um dos lados ou mesmo à nossa frente. Mesmo na cidade em baixa velocidade é importante não fixar o olhar por mais de alguns segundos.
Recomendo que durante a pilotagem, procure sempre girar a cabeça olhando dos lados, assim também massageando sua nuca, piscando os olhos e nunca fixar algum ponto por demasiado tempo, como às vezes fazemos tentando ler a cidade da placa de um veículo que segue a nossa frente.
Pense nisso.

Pane Elétrica em Motos

Pane elétrica

Qual a causa?

Pane elétrica

É o CDI? Não, o Estator deixou de gerar.Que nada, é o Retificador de corrente.
Bem, tudo isso não passa de empirismo daqueles que se dizem eletricistas de Motocicletas.
A identificação do defeito que ocasionou a pane elétrica requer conhecimento e um simples multímetro.
O CDI, o Estator e o Retificador podem apresentar defeitos individuamente e, por conseqüência, desencadear estragos nos demais componentes do sistema elétrico/eletrônico.
Identificar apenas o defeito sem buscar a causa trará surpresas desagradáveis, portanto, se e quando seu eletricista disser que o CDI queimou, exija dele que teste os demais componentes do sistema, pois o que ocorreu pode ter sido em decorrência até mesmo de um simples terminal de fio.
Entre tantos casos que temos notícia, um mais recente, e que testemunhamos, corrobora o que muitos de nós já sabe.
Trata-se de uma 7 Galo 1987 original e lindona.
Pois bem, seguindo de Mossoró/RN para Fortaleza/CE, uns 30 km após, a velha jega pifou, “apagou” completamente. Retornando a Mossoró/RN, o mecânico condenou o CDI e fez a substituição, mas ela continuou sem gerar e a bateria foi pro beleleu.
Sem recursos, restou dar um boa carga na bateria, desligar todas as lâmpadas e seguir para Natal/RN (280km) “só na bateria”. Em Natal, numa boa oficina, foi diagnosticado defeito no retificar de corrente que, após substituição por um novo, a 7 Galo continuava sem gerar.
Na sequencia, verificou-se o alternador (primo do estator) e ele não estava gerando por estar com as bobinas queimadas. Enviado o alternador para São Paulo (SEDEX), esse retornou em ordem e foi instalado, mas a 7 Galo continuava sem gerar.
Para encurtar a HISTÓRIA, o defeito causador de tudo foi um simples fio já enrijecido pela ação do tempo e cujo terminal, além de oxidado, estava “preso” apenas pela capa do fio. Aqui o eletricista mostrou que é bom.

Moral da história: empirismo não funciona com elétrica e mecânica, é preciso diagnosticar com precisão a causa do defeito, pois trocar peças até eu sei e não preciso ser mecânico para isso.

 

CDI significa: Sistema de Ignição por Descarga Capacitativa.

Ele tem a função de mandar a descarga elétrica para a vela e, paralelamente, o conta-giros “conta” essa “descarga”.

 

O CDI substituiu o velho, hoje todas Motocicletas, assim como os carros, possuem CDI (ignição eletrônica).
Estator ou alternador (motos antigas) tem por função conduzir energia elétrica.

Retificador é um dispositivo que permite que uma tensão ou corrente alternada(CA) seja constante , ou seja transformada em contínua.

Veículo não pode ser guinchado por não pagamento de IPVA

vaículo com IPVA atrasado não ode ser guinchado

Os veículos precisam cumprir várias condições para que possam circular nas vias públicas. Desde características físicas, como a manutenção de seus componentes e como a regularização de documentação.

Se você for multado, recorrendo pode pagar o IPVA sem precisar pagar o valor da multa.

Várias destas qualidades são geradoras de infrações de trânsito, pois é proibida por lei a circulação de veículos sem essas condições mínimas. Uma destas condições é o pagamento do IPVA – imposto sobre propriedade de veículos automotores.

Mas você sabia que a cobrança deste imposto pode estar sendo feita de modo ilegal? De que o seu veículo não poderia ser guinchado em Blitz de cobrança de IPVA?

Muitos dos veículos guinchados por falta de pagamento de IPVA não poderiam ser alvo deste procedimento.

Para onde vai o IPVA?

20% do IPVA vai para o Fundeb

O IPVA, como o próprio nome já diz, é um imposto cobrado do proprietário do veículo, com previsão legal para sua aplicação na nossa Constituição Federal. Lá está previsto que o valor arrecadado será dividido da seguinte forma: 20% para o FUNDEB[1], e deste saldo metade para o orçamento do Estado e a outra para o Município onde está registrado o veículo.

Contudo, a Lei faz apenas está previsão. Dispõe somente como será repartido o valor arrecadado entre as unidades da federação, ficando a efetiva aplicação a cargo dos órgãos públicos.

Muito deste valor acaba sendo aplicado em questões que não são relacionadas ao trânsito.

Mas quais são os requisitos para transitar com veículo em vias públicas?

blitz lei seca

Todos os veículos devem cumprir requisitos para que possam circular nas vias públicas. Entre estes itens obrigatórios destacam-se aqueles que servem para segurança do trânsito e para a dos próprios condutores.

Estes itens estão elencados no artigo  105 do Código de Trânsito Brasileiro, os quais nós transcrevemos aqui para você:

Art. 105. São equipamentos obrigatórios dos veículos, entre outros a serem estabelecidos pelo CONTRAN:

I – cinto de segurança, conforme regulamentação específica do CONTRAN, com exceção dos veículos destinados ao transporte de passageiros em percursos em que seja permitido viajar em pé;

II – para os veículos de transporte e de condução escolar, os de transporte de passageiros com mais de dez lugares e os de carga com peso bruto total superior a quatro mil, quinhentos e trinta e seis quilogramas, equipamento registrador instantâneo inalterável de velocidade e tempo;

III – encosto de cabeça, para todos os tipos de veículos automotores, segundo normas estabelecidas pelo CONTRAN;

IV – (VETADO)

V – dispositivo destinado ao controle de emissão de gases poluentes e de ruído, segundo normas estabelecidas pelo CONTRAN.

VI – para as bicicletas, a campainha, sinalização noturna dianteira, traseira, lateral e nos pedais, e espelho retrovisor do lado esquerdo.

VII – equipamento suplementar de retenção – air bag frontal para o condutor e o passageiro do banco dianteiro.

  • 1º O CONTRAN disciplinará o uso dos equipamentos obrigatórios dos veículos e determinará suas especificações técnicas.
  • 2º Nenhum veículo poderá transitar com equipamento ou acessório proibido, sendo o infrator sujeito às penalidades e medidas administrativas previstas neste Código.

 

Além dos itens de segurança, também são essenciais à circulação toda a documentação e requisitos burocráticos. Entre os principais listamos o CRLV[2] e pagamento do seguro obrigatório.

Para obter o CRLV atualizado, documento de porte obrigatório para transitar, é necessário pagar o IPVA anualmente.

OBS: Aqui vale lembrar a Lei 13.281, que entrará em vigor em novembro corrente, que estabelece que o porte do CRLV será dispensado quando, no momento da fiscalização, for possível ter acesso ao devido sistema informatizado para verificar se o veículo está licenciado.

Mas o veículo pode ser guinchado por não pagamento de IPVA?

carro guinchado por IPVA

Os Estados e Municípios, principalmente nesta época de vencimento dos documentos de CRLV, costumam organizar operações para fiscalizar motoristas que não estejam com a documentação em dia.

Estas operações, que são comumente chamadas de Blitz, muitas vezes tem a única finalidade de averiguar a documentação do veículo. Tanto é que, logo após a data de vencimento da maioria dos documentos o número de Blitz aumenta consideravelmente.

Contudo, este tipo de operação de fiscalização é vedado por lei!

Segundo a nossa Constituição Federal é proibida a cobrança coercitiva de qualquer tributo, e nisso está incluído o IPVA.

Apesar de haver a previsão para, incorrendo na infração prevista no artigo 230 do CTB, o veículo seja removido do local, até que se regularize a questão fiscal.

Diante disso, vem se sustentando pelos melhores Doutrinadores e também na jurisprudência pela ilegalidade no guinchamento de veículos pelo atraso no IPVA.

Inclusive, transcrevemos decisão do Tribunal de Justiça da Bahia:

“A malsinada blitz do IPVA impõe ao cidadão proprietário de veículo dupla penalização. A primeira, por fazê-lo suportar a perda temporária de um bem cujo domínio lhe pertence, sem ao menos, repita-se, respeito ao contraditório e à plenitude de defesa. A segunda, por obrigá-lo a arcar com o ônus da permanência de seu veículo no depósito e e de utilização do serviço de guincho”.

“A formatação escolhida para o atuar estatal revela-se, igualmente, abusiva, poisimpõe cobrança para pagamento imediato e indiscutido. Essa vertente, aliás,confirma o caráter inconstitucional da apreensão, já que despreza o direito do cidadão de somente ter um bem retirado de seu patrimônio depois de observado o devido processo legal, seja ele administrativo, seja ele judicial”.

Se você levou uma multa ou teve o veículo guinchado é importante que você recorra, pois há grandes chances de conseguir reverter esta infração.

Também é muito importante recorrer para evitar que novas multas injustas sejam aplicadas, pois os Condutores estão cada vez mais atentos aos seus direitos.

Se você for multado, recorrendo pode pagar o IPVA sem precisar pagar o valor da multa.

Fonte: doutormultas

Dicas de viagem segura

E todo fim de ano, uma das coisas que mais aumentam é o fluxo de veículos pelas rodovias do país. Quer seja de moto ou de carro, a segurança precisa ser o principal objetivo de qualquer um que planeja sair da cidade; vamos a listagem de uma série de dicas para os motociclistas seguirem suas aventuras.
Os procedimentos abrangem desde a verificação dos equipamentos de segurança e vestuário, até o planejamento e roteiro de viagem a serem seguidos.
kansas
Itens de Segurança
O próprio motociclista pode revisar alguns itens da motocicleta para se prevenir de eventuais problemas em comandos e manter peças e acessórios em estado adequado. Verificar a lubrificação da corrente de transmissão, a condição dos pneus e das rodas, o nível do óleo do motor, conferência do sistema elétrico (luzes e baterias), entre outras, são medidas preventivas e de fácil execução. Por haver a possibilidade de algum trecho do percurso não contar com assistência técnica, é necessário que a moto esteja em perfeitas condições de dirigibilidade antes de sair de casa. Um item essencial para fazer uma viagem segura é a parte elétrica. Necessita-se observar se todas as luzes (de freio, piscas, lanterna, farol e painel) estão em perfeito funcionamento. Uma luz queimada ou com algum tipo de irregularidade também pode acarretar em multas caso haja uma blitz policial pelo percurso. A atenção do motociclista precisa ser redobrada à situação dos pneus, cabos de embreagem, do acelerador e do sistema de freios, que precisam estar devidamente regulados e lubrificados. Um detalhe: caso o freio seja hidráulico, deve-se ficar atento para o nível de fluído que, se estiver abaixo do mínimo estipulado, representa vazamento ou desgaste excessivo da pastilha. É indispensável que sejam conferidas diariamente a folga e a lubrificação da corrente de transmissão, em função do risco de danos e acidentes no caso de não estarem de acordo com as especificações da motoca. O piloto deve estar atento também para a troca de filtro de óleo e a limpeza do filtro de ar para que a lubrificação do motor não fique comprometida. O filtro de óleo deve ser limpo ou substituído a cada seis mil quilômetros. Por absorver muitas impurezas, o filtro de ar precisa ser limpo para evitar maior desgaste de anéis e cilindros do motor. Se este for de espuma, indica-se que seja lavado com querosene e reaplicado óleo de motor, espremendo para tirar o excesso. Recomenda-se verificar o nível do óleo lubrificante do motor. Realizar o preenchimento até o indicado ou a troca total é fundamental para o bom funcionamento do veículo. Outra dica: olhar o nível do líquido de arrefecimento, caso a motocicleta seja dotada de radiador. Além de tomar cuidados com todos esses componentes, o motociclista precisa estar preparado para qualquer imprevisto na viagem. Por isso, ele deve carregar um kit extra, composto por jogo básico de ferramentas, câmara de ar, lâmpada de farol e da lanterna traseira.
Vestuário
Motociclista e garupa devem estar atentos às roupas e aos acessórios que serão utilizados ao longo da viagem. É essencial verificar o prazo de validade do capacete. Esse equipamento deve ser ajustado de forma a não ficar apertado nem folgado. A viseira é outro item que exige cuidado: precisa estar sempre limpa e sem riscos. O usuário pode aplicar um produto do lado externo para impedir o acúmulo de água da chuva. Por dentro, é aconselhável usar um anti-embaçante. Roupas de cor clara, que facilitam a visão de outros motociclistas, principalmente à noite, calças e jaquetas confeccionadas em tecido grosso, couro ou material similar, são indispensáveis, bem como sapatos que protejam o calcanhar ou botas, luvas e capas de chuva. O usuário deve evitar o excesso de peso da bagagem para não comprometer a segurança. Os pertences podem ser acomodados em uma mochila, presa nas costas do piloto ou do garupa, ou ainda numa bolsa devidamente fixada no bagageiro da motocicleta. É recomendado embalar o conteúdo da bagagem, assim como documentos pessoais e da motocicleta, em sacos plásticos para evitar que molhem em caso de chuva.
Roteiro
Antes de partir para o destino, é crucial conferir se existem postos de combustível e restaurantes no trajeto. Ao parar para abastecer, a recomendação dos instrutores de pilotagem da Honda é checar o nível do óleo do motor – para evitar eventuais vazamentos, o nível não deve ser ultrapassado – e a calibragem dos pneus. No caso de viagem com garupa, por exemplo, o pneu traseiro deve receber pressão maior para compensar o peso extra. O motociclista deve prestar atenção à presença de objetos presos, como cacos de vidro e pedras, além de verificar se algum raio da roda está quebrado para que não perfure posteriormente a câmara de ar. As dicas para uma dirigibilidade mais segura não estão ligadas apenas ao veículo de duas rodas. É necessário também que o motociclista faça uma parada a cada 90 minutos para movimentar os músculos. Isso ajuda a evitar os efeitos da fadiga e da ação do vento. Para assegurar comodidade e melhor rendimento, é aconselhável aquecer-se e fazer exercícios de alongamento nas paradas. Seguindo os procedimentos, os aventureiros terão garantido um ótimo desfruto da viagem, além da chegada tranquila a seu destino. Depois é só curtir as comemorações, quer sejam de Natal ou de ano novo!

Manuais de Motos

Estes arquivos estão no formato PDF. Para abrir, você precisará de um leitor de PDF. O Adobe Reader é gratuíto e pode ser instalado no site da Adobe.

ATENÇÃO: Claytonet não se responsabiliza pela forma de utilização deste material. Não recomendamos que realize a manutenção de sua moto se não tiver conhecimentos em mecânica. O material aqui disponível pode ser usado como fonte de consulta e referência.

GSX 1400
Download do Manual…

01 _ 02 _03

CORNET GT 250
Download do Manual …

01 _ 02 _03

HARLEY – DAVIDSON 2008 – 883R
Download do Manual…
BURGMAN AM 400 2002
Download do Manual…
BURGMAN AM 650 2002
Download do Manual…
BMW – R1150RT
Download do Manual…
SUZUKI – VZ 800
Download do Manual…
MITO – CAGIVA 125
Download do Manual…
MITO – CAGIVA SUPER CITY 125
Download do Manual…

Peças compativeis para Kansas 150

Olá amigos motociclistas, trago a lista de peça para nossa Kansas atualizada e com alguns mitos exterminados! espero ter ajudado alguém blz!

LISTA
Bateria: Titan 150 ou no-break (computador)
Bucha: green, garinni, mirage 150, bucha da balança do fiat uno
(corta no meio e faz duas, o jogo da Kansas são 4), fazer sobre encomenda de TECNIL ou Nylon (torneiro mecânico).
Prisioneiro da coroa: CG 99
Cabo da embreagem: FAN
Cabo de velocímetro: CB 450 (já está disponível da Kansas em algumas lojas a original a R$ 17,00)
Cabo do afogador: cabo de freio de bicicleta
Cachimbo: Titan 150 NGK
Carburador:  CG 125 2002
CDI: CG 99
Cubo danteiro: XR 200 (aro18)
Cubo traseiro: TITAN 150 (aro16)
Disco de freio: XR 200
Filtro de óleo: Titan
Guidon: CB 400 2, Virago, RX 180 custon.
Kit Reparo do carburador: CG Titan 99/2000
Lona traseira: CBX 125, Titan 150
Mola do pedal de descanso Titan, Twister
Motor Arranque: Speed 150
Parafuso da passagem de ar do carburador: Titan
Pastilha de freio: Yes ou XTZ 125 (essa eu uso pode confiar)
Pinhão 16 dentes: Titan 125, bros 125 (já está a venda o da kansas, R$ 60,00)
Piscas: V-blade ou que você achar melhor.
Porca superior do amortecedor: CG 125
Protetor de escape titan KS + braçadeira, CG 99
Regulador de tensão: só da Dafra, dois fóruns, comentaram que foi usado da Twister 250, fazendo adaptação.
Relação: CG 125
Amortecedor: Intruder, Strada, Virago 535 marca FAR, (o da Yes tb serve, soh fica um pouco mais alto).
Torneirinha de combustível: CG ML 82 ainda não testei, dizem que funciona. a rosca é menor.
Vareta do óleo: Titan
Esticador de corrente: Bross, Twister
Relê de pisca: CG 99 (fica sem aquele barulhinho)
Comando de luz e partida elétrica: Twister
Cilindro: Bros
Válvula de ar Traxx Star 50cc
Câmbio de marchas: Honda, 3º da 150cc e 2º da CG82
Pistão: Cbx 200 Aero
Borracha de vedação do bujão de óleo: CG125 titan
Mangueira da válvula de ar (catalisador): sundown hunter 125
Mola do pedal de freio: Titan
Protetor de corrente: YBR ou da Kasinski Mirage, um pouco menor
Pneu traseiro: intruder 250cc / Pirelli MT15 120/90-16
Pedais: CBX200, Twister, Titan
Braço seletor (garfo): FAN 125
Estrela: FAN 125
Discos e Separadores (embreagem): FAN 125
Platô e cubo: FAN 125
Biela: CG/TURUNA 83…91
Rolamentos Virabrequim: CG 125 ATÉ 99
Virabrequim: CG 150
Buchas: Strada ou NX
Amortecedor dianteiro., bengalas ou canelas sem o copo inferior: ou original da Bross só que é quase 8 cm maior. ou XLR 125.
Por Kansas Clube Leões do Asfalto – Facção Recife

Códigos de Erro FI Injeção DELPHI Kasinski Comet / Mirage 250

Vou postar aqui pra vocês os códigos de erro da injeção DELPHI Comet/Mirage 250.

Código                   Descrição

0031—————–Baixa Voltagem no circuito do aquecedor Sonda Lâmbida cilindro 1

0032—————–Alta voltagem no circuito do aquecedor Sonda Lâmbida cilindro 1

0037—————–Baixa voltagem no circuito do aquecedor Sonda Lâmbida cilindro 2

0038—————–Alta voltagem no circuito do aquecedor Sonda Lâmbida cilindro 2

0107—————–Baixa voltagem no circuito do IAPS ou circuito aberto

0108—————–Alta voltagem no circuito do IAPS

0112—————–Baixa voltagem no circuito do IATS

0113—————–Alta voltagem no circuito do IATS ou circuito aberto

0117—————–Baixa voltagem no circuito ETS

0118—————–Alta voltagem no circuito do ETS ou circuito aberto

0122—————–Baixa voltagem no circuito do TPS ou circuito aberto

0123—————–Alta voltagem no circuito do TPS

0131—————–Baixa voltagem no circuito cilindro N°1 do O2S

0132—————–Alta voltagem no circuito cilindro N°1 do O2S

0137—————–Baixa voltagem no circuito cilindro N°2 do O2S

0138—————–Alta voltagem no circuito cilindro N°2 do O2S

0201—————–Defeito no circuito do injetor N°1

0202—————–Defeito no circuito do injetor N°2

0230—————–Baixa voltagem no circuito do relé da bomba de combustível ou circuito aberto

0232—————–Alta voltagem no circuito do relé da bomba de combustível

0336—————–Sinal de ruído na bobina do pick-up

0337—————–Sem sinal na bobina do pick-up

0351—————–Defeito na bobina de ignição N°1

0352—————–Defeito na bobina de ignição N°2

0505—————–Erro na ISC

0562—————–Baixa voltagem na bateria

0563—————- Alta voltagem na bateria

0650—————–Defeito no circuito da luz de aviso “FI”

0850—————–Defeito no circuito do interruptor GP  ou da alavanca da embreagem

0171——————Excesso de combustível em um dos cilindros (geralmente acompanhado de algum erro de Sonda) Basta limpar e ajustar conectores da sonda e verificar regulagem do TPS.

Segue o vídeo de como visualizar os códigos no painel: