Johnny Depp viverá o milionário (e maluco) John McAfee nos cinemas

 

Há alguns anos, John McAfee era uma das maiores autoridades em segurança virtual do mundo. Hoje em dia, ele ainda acumula muito conhecimento, mas é mais conhecido por ter surtado e virado um “milionário malucão”. E é exatamente esse lado do empresário que será retratado nos cinemas.

Segundo o site Deadline, a vida de John McAfee será em breve contada nas telonas em um longa-metragem chamado “King Of The Jungle” (“Rei da Selva”, em tradução literal). E o ator Johnny Depp, da franquia Piratas do Caribe e muitas outras superproduções, é o escolhido para interpretar o responsável por um dos antivírus mais famosos do mundo.

A promessa é de “paranoia, metralhadoras, sexo e assassinato” — e McAfee se envolveu com tudo isso

Por enquanto, o filme ainda nem está em produção, mas já há uma sinopse inicial. A produção vai contar a história de McAfee já em sua fase “louca”, levando um jornalista da revista Wired para sua residência em Belize em um “tour de humor negro no estilo Acapocalypse Now”. A promessa é de “paranoia, metralhadoras, sexo e assassinato” — e McAfee se envolveu com tudo isso depois de abandonar a marca que leva seu próprio nome.

“King of the Jungle” não tem qualquer previsão de estreia até o momento.

WhatsApp: como recuperar mensagens apagadas em seu Android

WhatsApp é um dos mensageiros mais populares da atualidade, e serviços dedicados à troca de conversas geralmente contam com mecanismos que permitem a exclusão de diálogos para proteção da privacidade. No entanto, e se for preciso restaurar dados apagados? A verdade é que o WhatsApp possui restrições quanto à sua capacidade de recuperação de mensagens.Mas o drama de quem precisa resgatar o que foi dito e então excluído através do WhatsApp está prestes a acabar. É que um gerenciador de dados promete recuperar mensagens que foram apagadas. Vale notar, porém, que a execução dos passos descritos a seguir pode não restaurar todo o seu bate-papo.Durante nossos testes, as mensagens foram devidamente recuperadas. Assim, se você realmente precisa resgatar aquela mensagem deletada, seguir as dicas a seguir pode ser uma das suas melhores opções. Atenção: para que os textos possam ser recuperados, o WhatsApp deverá ser desinstalado. Portanto, certifique-se de fazer seus backups, e mãos à obra.

Passo 1 – Desinstale o app

Se sua mensagem foi trocada no período de até 24 horas, basta desinstalar e instalar novamente o aplicativo. Durante o processo de reinstalação, uma mensagem vai sugerir a restauração de mensagens. Basta tocar em “Recuperar” e pronto: nenhum app alternativo terá de ser instalado. Porém, se a conversa a ser resgatada aconteceu há mais tempo, um gerenciador de arquivos precisa ser baixado via Google Play, e seu WhatsApp deverá ser desinstalado.

Passo 2 – Instale o Gerenciador de Arquivos

O Gerenciador de Arquivos (ou Clean File Manager) é, justamente, um software que permite acesso às pastas de dados do sistema Android – outra opção de gerenciador de arquivos é o Web PC Suite, que precisa ser operado por meio de um computador.Uma vez desinstalado o WhatsApp e baixado o Gerenciador de Arquivos (clique aqui), o local de armazenamento de dados de seu Android deverá ser acessado.
Abra o aplicativo e selecione “Memória do sistema” ou “Memória interna” – em nosso caso, a segunda opção foi marcada. Vá até a pasta “WhatsApp” e, em seguida, toque sobre “Databases” – este é o local em que as mensagens trocadas ficam armazenadas.

Passo 3 – Altere o nome dos arquivos

Os arquivos hospedados na pasta “Databases” correspondem às suas conversas. Porém, para que a restauração possa ser feita, os registros terão de ser renomeados. Acontece que cada um deles possui uma data – veja o exemplo abaixo, com as datas do mês de janeiro.

Em vermelho, os arquivos de conversas passadas; em azul, a conversa atual, que pode ser renomeada (em nosso caso, complementamos com “hoje”).
O truque está aqui: no momento em que você instalar novamente o WhatsApp, a restauração de conversas será sugerida. Acontece que apenas o arquivo do dia pode ser resgatado, e o documento sem data na pasta “Databases” é que corresponde à sua conversa atual. Para que você não perca seu backup, sugerimos a renomeação do registro – em nosso caso, renomeamos o documento para “hoje”.
Mas como recuperar as conversas de, por exemplo, nove dias atrás? Selecione o arquivo na pasta “Databases” de um dia determinado e, então, remova os números que indicam a data. Esse processo fará com que o WhatsApp identifique a conversa editada como sendo a mais recente.

Remova os números da data e faça com que o WhatsApp “pense” que a sua conversa atual é aquela que foi deletada.

Passo 4 – Reinstale o WhatsApp

Baixe novamente o e WhatsApp, durante a instalação, selecione a opção “Recuperar”. O aplicativo vai resgatar sua conversa mais recente, indicada pelo arquivo editado como o descrito pelo passo anterior.
Seus diálogos atuais podem ser consultados também através do app Gerenciador de Arquivos – em nosso exemplo, a palavra “hoje” foi inserida junto do nome do arquivo correspondente às mensagens do dia (ver passo anterior).

Mr Claytonet 20666 – O Vereador Digital CiberAtivista e Motociclista

Mr Claytonet 20666

Mr Claytonet 20666 – O Vereador Digital CiberAtivista e Motociclista
http;//mrclaytonet.vereador.site
Pelo progresso de nossa cidade chega de ser ultrapassado por outras cidades mineiras em desenvolvimento, chega de atraso. Sou Barbacenense a vida toda e nunca vejo nossa cidade progredir ta na hora de ter alguem que realmente não tem medo de lutar pelo progresso e o povo na camara municipal de Barbacena essa pessoa sou eu Mr Claytonet 20666 – O Vereador Digital CiberAtivista e Motociclista.
http://mrclaytonet.vereador.site
Assista este video:https://www.facebook.com/mrclaytonet/videos/1400996586582682/?hc_location=ufi

Porque escolhi o numero 20666?
Por causa do Route 66 MC 🙂

Instalar apps no cartão SD: 5 soluções para problemas frequentes

Recebemos muitas perguntas sobre o tutorial que explica como obrigar o Android a instalar apps no cartão SD. Neste artigo, respondemos as cinco dúvidas mais frequentes relacionadas a este tema.

A mensagem de memória cheia é um dos problemas mais odiados do Android. Felizmente, existe um método bem simples para obrigar o Android a instalar todos os apps no muito mais espaçoso cartão SD.

Este método nem sempre funciona por causa das diferenças que existem entre as configurações do celular e do PC. Por isso, decidi responder aqui às dúvidas mais frequentes dos usuários.

O que é isso de pacote de drivers?

Para que você possa conectar seu celular Android ao PC, é preciso que o Windows o detecte. Para ser detectado com o comando adb devices com sucesso, às vezes falta instalar driversou os controladores de dispositivo do fabricante do celular.

A ferramenta Kies da Samsung já inclui drivers USB para todos os celulares da marca

O mais fácil é instalar as ferramentas com o Samsung Kies, Sony Companion ou LG PC Suite, que já incluem drivers para seus celulares.

Comando pm get-install-location não reconhecido

Os comandos do tutorial são escritos sem hífen quando a versão do Android é inferior à 4.0 (é algo que esquecemos de comentar). Se a versão do Android é superior à 4.0, então os comandos devem ser escritos com hífen:

Para saber qual é a opção de instalação ativada:

adb shell pm get-install-location (Android 4.0 ou versões superiores)

adb shell pm getInstallLocation (Android 2.3 ou versões inferiores)

Para definir o cartão SD como destino preferencial:

adb shell pm setInstallLocation 2 (Android 4.0 ou versões superiores)

adb shell pm set-install-location 2 (Android 2.3 ou versões inferiores)

Para comprovar qual é a sua versão do Android, vá a Ajustes e abra a seção Sobre o telefone. Se é a 2.3, escreva os comandos sem hífen. Se é a 4.0, escreva os comandos com hífen.

Diz que não encontra a rota especificada

As ferramentas de desenvolvimento do Google podem se descomprimir em qualquer pasta. No nosso tutorial, foram colocadas dentro de ‘Arquivos de programa’, mas a sua rota pode ser diferente.

Para que seja mais simples ter acesso a elas, copie todo o conteúdo para a raiz do disco C. Assim, a rota será C:\android-sdk, muito mais simples de abrir.

Aparece mais de um dispositivo ao teclar adb devices

Se você tem mais de um celular Android e quem sabe algum emulador, é normal que, ao escrever o comando adb devices, apareçam vários dispositivos. Se é esse o caso, você tem que adicionar a identificação do celular que quer modificar antes de pôr o comando.

Digamos que, depois de escrever adb devices, você obtém a seguinte lista:

List of devices attachedemulator-5554 device8e1d789c device

Para conectar ao celular, que é o segundo, você tem que adicionar -s seguido por seu código antes do comando. A ordem para trocar a rota do celular ficaria assim:

adb -s 8e1d789c shell pm setInstallLocation 2

Diz que o acesso foi negado ao usar taskkill

Se está tentando fechar um processo que usa a porta 5037 e o Windows nega o acesso, significa que você não tem permissão de Administrador. Quando abrir a linha de comandos, certifique-se que está fazendo assim:

É preciso abrir o Prompt de Comando com a opção Executar como administrador

O processo é reversível?

É claro. Basta seguir as mesmas instruções, mas em lugar de definir a instalação no armazenamento externo (a opção número 2), você pode voltar para a opção padrão (a zero), que deixa que o Android faça essa escolha por conta própria.

Delphi: Como criar um gerenciador para sua rede

Para criarmos um programa que “gerencie” a nossa rede, seja tanto em caso como no trabalho, temos que criar dois programas: um programa servidor, que ficará nas máquinas que queremos controlar; e um programa cliente, que irá rodar na máquina que queremos usar para controlar os outros computadores.

Primeiramente, devemos criar o programa servidor. Nele colocaremos os componentes ClientSocket (Internet) e NMMsgServ (FastNet). Logo após iremos clicar no menu Project/View Source. Nos será mostrado o código base da aplicação. Devemos colocar o seguinte comando após o begin:

Application.ShowMainForm:=False;

Isso serve para que quando a aplicação seja iniciada, ela não mostre o form principal, ficando invisível ao usuário que estará utilizando o computador. Depois, devemos mudar a propriedade Port do componente NMMsgServ para a porta que você quiser, ou deixar com está (6711). Você deve mudar se existir outro programa usando esta porta ou um firewall bloqueando-a. No meu caso, deixei como 6711.

Agora, no evento OnMSG, devemos colocar o que o programa deve fazer quando receber determinada mensagem. Nesse exemplo, ao receber a mensagem “desligar”, ele irá desligar o computador. Colocarei o comando que é usado para desligar o Windows 98, mas você pode perfeitamente colocar aquela procedure que server para desligar qualquer Windows, só não coloco aqui porque ela é muito grande.

if sMsg = “desligar” then
begin
WinExec(“C:\Windows\rundll32.exe user.exe,exitwindows”,sw_hide);
end;

Ou seja, quando a mensagem “desligar” for enviada para o programa ele irá desligar o Windows 98. Você pode fazer isso e colocar um else depois e fazer com que o programa aceite outros comandos, como por exemplo:

if sMsg = “desligar” then
begin
WinExec(“C:\Windows\rundll32.exe user.exe,exitwindows”,sw_hide);
end
else
if sMsg = “monitor” then
begin
DesligaMonitor(True);
end;

Então ele irá desligar o monitor quando receber a mensagem “monitor”. Claro que do jeito que está neste exemplo, a procedure DesligaMonitor deve estar declarada antes.

Depois de colocar todas as suas funções e procedures, você pode colocar no evento OnCreate do form, um procedure que coloque seu programa no registro para iniciar junto com o Windows ou pode colocar ele como uma tarefa agendada do Windows, para que ele inicie com o Windows.

Agora, temos que criar o programa cliente, para que possamos gerenciar nossos computadores. Crie uma nova aplicação, com os componentes ClientSocket (Internet) e NMMsg (FastNet). Não esqueça de mudar a porta para a que você configurou no servidor. Se você não mudou no servidor, também não precisa mudar no cliente, pois já vai estar com 6711. Agora, coloque um Edit, um Label e um Button. No Caption do Label, coloque “Host” e no Caption do Button coloque “Conectar”. No botão Conectar, coloque o seguinte código:

procedure TForm1.Button1Click(Sender: TObject);
var
comp:string;
begin
comp:=Edit1.Text;
NMMsg1.Host:=comp;
try
NMMsg1.Connect;
ShowMessage(“Conectado.”);
except
ShowMessage(“Erro ao Conectar.”);
end;
end;

Para funcionar, você deve colocar o IP ou o nome de Host do computador que quer controlar e depois clicar em “Conectar”. Se a conexão for possível, irá aparecer uma mensagem dizendo “Conectado”, caso contrário irá dar erro. Agora estou conectado e daí? Agora, vamos colocar um outro botão e alterar o seu Caption para “Desligar”. No código do botão, coloque:

if NMMsg1.Connected=True then
NMMsg1.Disconnect;
NMMsg1.PostIt(“desligar”);
NMMsg1.Connect;

Ou seja, quando você conectar e clicar em “desligar”, o computador a que você está conectado irá desligar. Podemos colocar outro botão com o código e trocar o “desligar” por “monitor”, então o monitor do computador seria desligado.

Outra coisa interessante é que podemos fazer um cliente mais aperfeiçoado, por exemplo, que mande estes comandos para uma faixa de IPs e assim, desligar vários computadores ou desligar os monitores de todos eles. Isso é interessante em empresas ou até mesmo em casa quando se quer enconomizar um pouco de energia e configurar o programa para que mande o comando de desligar o monitor para todos os computadores na rede ao meio-dia, para economizar na energia gasta por eles e configurar para que no fim no expediente (as 7:00 por exemplo), ele mande o comando de desligar o computador para os PCs da rede, evitando que algum fique ligado e que alguém tenha que ver se todos estão desligados, poupando energia e esforços.

Logo SDCX

Esqueceu a senha de Administrador do Windows 7?

Esqueceu a senha de Administrador do Windows? Saiba trocar

Descubra como mudar a senha da conta Administrador (Foto: reprodução/Edivaldo Brito)Descubra como mudar a senha da conta Administrador

É importante lembrar que o que será mostrado nesse tutorial deve ser usado unicamente para a modificação de senha. Além disso, apesar de ser focado no Windows 7, o procedimento a seguir pode muito bem ser feito em versões anteriores ou mais atuais do sistema.

Passo 1. Inicialize o computador usando o disco de instalação do Windows. Quando aparecer a mensagem “Press any key to boot from CD or DVD..” ou “Pressione qualquer tecla para iniciar a partir do CD ou DVD..”,  pressione rapidamente qualquer tecla para o sistema iniciar pela mídia de instalação do Windows;

Pressionando uma tecla para iniciar pela mídia de instalação (Foto: Reprodução/Edivaldo Brito) (Foto: Pressionando uma tecla para iniciar pela mídia de instalação (Foto: Reprodução/Edivaldo Brito))Pressionando uma tecla para iniciar pela mídia de instalação

Passo 2. Na primeira tela, clique na opção “Meu idioma é português (Brasil)” ou outra língua que você queira usar;

Escolhendo o idioma a ser usado pelo instalador (Foto: Reprodução/Edivaldo Brito)Escolhendo o idioma a ser usado pelo instalador

Passo 3. Em seguida, escolha as opções de localização (idioma, formatos e layout de teclado). Depois, clique no botão “Avançar”;

Escolhendo algumas opções de localização do Windows 7 (Foto: Reprodução/Edivaldo Brito)Escolhendo algumas opções de localização do Windows 7

Passo 4. Na próxima tela, apenas clique na opção “Reparar o computador”;

Iniciando a reparação do Windows (Foto: Reprodução/Edivaldo Brito)Iniciando a reparação do Windows

Passo 5. Aguarde o instalador localizar as informações. Quando a tela “System Recovery Options” estiver disponível, clique no botão “Load Drivers”. Na pequena tela que aparece, clique no botão “OK”, para continuar o processo;

Utilizando a opção Load Drivers para acessar os arquivos do Windows (Foto: Reprodução/Edivaldo Brito)Utilizando a opção “Load Drivers” para acessar os arquivos do Windows

Passo 6. Na janela “Abrir”, vá até a pasta /Windows/System32/ e procure pelo aplicativo Utilman. Ao encontrá-lo, clique nele e pressione a tecla F2. Mude o nome do aplicativo para Utilman2 e tecle enter para confirmar;

Renomeando o aplicativo Utilman (Foto: Reprodução/Edivaldo Brito)Renomeando o aplicativo Utilman
Passo 7. A seguir, procure pelo programa Cmd. Ao localizá-lo, clique nele e pressione a tecla F2. Mude o nome do aplicativo para Utilman e tecle enter para confirmar;
Renomeando o aplicativo Cmd (Foto: Reprodução/Edivaldo Brito)Renomeando o aplicativo Cmd

Passo 8. Depois disso, apenas reinicie o computador e deixe o sistema iniciar sem usar o disco de instalação (por precaução, retire o disco da unidade, assim que começara reiniciar);

Passo 9. Caso a conta Administrador não apareça na tela de login, isso significa que ela está desativada. Para resolver isso, clique no ícone azul e circular, que fica no canto inferior esquerdo da tela;

Tela de login do Windows sem a conta Administrador (Foto: Reprodução/Edivaldo Brito)Tela de login do Windows sem a conta Administrador

Passo 10. Será exibida a tela do Prompt de comando com privilégios de administrador. Nessa tela, digite o comando <code>net user Administrador /active:yes</code> e tecle enter;

Ativando a conta Administrador (Foto: Reprodução/Edivaldo Brito)Ativando a conta Administrador

Passo 11. Para visualizar o resultado da mudança, clique no ícone de desligamento e depois na opção “Reiniciar”;

Reiniciando o Windows (Foto: Reprodução/Edivaldo Brito)Reiniciando o Windows 

Passo 12. Com a conta Administrador na tela, clique no ícone que fica no canto inferior esquerdo para Abrir o Prompt de comando;

Tela de login com a conta de Administrador (Foto: Reprodução/Edivaldo Brito)Tela de login com a conta de Administrador 

Passo 13. Na tela do Prompt de comando, digite o comando <code>net user Administrador novasenha</code> (substitua novasenha pela senha que você quer usar) e tecle enter. Feche a janela para voltar para a tela de login;

Mudando a senha da conta Administrador (Foto: Reprodução/Edivaldo Brito)Mudando a senha da conta Administrador

Pronto! A partir desse momento você já pode acessar usando a conta Administrador e a nova senha. Aproveite e vá para a pasta /Windows/System32/ e desfaça o sexto e o sétimo passo, para não deixar seu sistema vulnerável.

Anonymous divulga dados de estupradores de menina no Rio de Janeiro

Anonymous

Além das milhares de mensagens em apoio à jovem vítima de estupro coletivo na Zona Oeste do Rio de Janeiro no penúltimo sábado (21), agora o grupo de hackers Anonymous mobilizou uma campanha para buscar e expor os nomes dos 33 homens que participaram do crime. Em uma mensagem no Pastebin, serviço que permite publicar fragmentos de textos por um período ou por tempo indeterminado, o AnonOpsBrazil anunciou que vai divulgar dados de todos os envolvidos na barbárie que chocou o país nesta semana. Segundo os hackers, as informações serão postadas conforme o grupo identificar os criminosos e somente depois que o Ministério Público receber uma denúncia formal pelos policiais que estão investigando o caso. Um dos nomes divulgados pelo grupo é o de Raphael Asssis Duarte Belo, de 41 anos. Ele é o rapaz que apareceu fazendo uma selfie ao lado do corpo da adolescente de 16 anos e que foi amplamente compartilhado nas redes sociais na última terça-feira (24). Entre os dados publicados estão o nome, a idade e o estado civil dos acusados. “Estamos com mais dados em relação a ele, mas, esses dados serão entregue para as autoridades na ajuda pra localizar o estuprador. Sim, tomamos toda cautela para confirmar a identidade dele”, comentaram os hackers no comunicado, reforçando a afirmação de que tomaram cuidado para não expor nenhuma pessoa inocente. Além de Raphael, a polícia já identificou outros três homens e decretou a prisão preventiva dos quatro.

São eles Lucas Perdomo Duarte Santos, de 20 anos, com quem a menina tinha um relacionamento há três anos; Marcelo Miranda da Cruz Correa, de 18 anos; e Michel Brazil da Silva, de 20.

Veja abaixo a carta divulgada pelos hackers do Anonymous Brasil: “‘Estupradores não são doentes: são filhos saudáveis do patriarcado.’ A sociedade e o machismo impregnado nela agem muitas vezes de maneira silenciosa. Pessoas banalizam o tempo inteiro e acabam por aceitar sua naturalizacão, costumeiramente atribuindo a culpa às vítimas das opressões. Uma sociedade doente, gera pessoas doentes, assim como o caso do Rafael, que divulgou e achou graça da desgraça e covardia extrema a qual cometeu com uma jovem, ainda por cima menor de idade, junto com mais cerca de 30 homens. A exposição desta figura é muito importante para que se possa facilitar a sua localização junto às autoridades competentes, para que possam dessa maneira localizar ainda os demais envolvidos nessa barbárie.Não há, infelizmente, justiça que repare a dor e o trauma sofridos, porém, há a urgente necessidade de que indivíduos como estes não continuem soltos junto à sociedade. Pedimos que compartilhem para que possamos dessa maneira localizar e, quem sabe dessa maneira, possamos assistir ao mínimo de justiça possível dentro de uma sociedade que se despreocupa com a criação de monstros como estes. Estamos com mais dados em relação a ele, mas, esses dados serão entregue para as autoridades na ajuda pra localizar o estuprador. Sim, tomamos toda cautela para confirmar a identidade dele.”

Fontes: Anonymous Brasil (Facebook), Pastebin via Catraca Livre

 

Civilization V – Dicas, Cheats e Códigos

Cheats, Dicas, Códigos

Civilization V

Civilization V

Dicas de Sid Meier’s Civilization 5 para computadores. Aqui, veremos como alterar o jogo através do modo debug deste bom jogo de estratégia baseado em turnos.

Debug Mode / World Builder

Altere os arquivos do jogo por sua conta e risco. Lembre-se de fazer uma cópia de segurança antes de qualquer alteração, para o caso de ocorrer algo errado.

Vá até a pasta onde o jogo está instalado e procure pelo arquivo config.ini. Abra-o no bloco de notas.

Onde tiver escrito

; Set to 1 to activate the debug panel

DebugPanel = 0

Altere o número 0 para 1, como abaixo

; Set to 1 to activate the debug panel

DebugPanel = 1

Salve o arquivo e comece o Civilization 5, então escolha um novo jogo e pressione ‘ ou ~ (ou o botão acima do TAB). Aparecerá um painel do debug mode onde poderá alterar o jogo

APRENDA A USAR O CHKDSK E RESOLVA PROBLEMAS DO SEU HD

 Aprenda a usar o CHKDSK e resolva problemas do seu HD! O CHKDSK é o sucessor do antigo Scandisk, utilitário muito usado nas versões mais antigas Windows. O  CHKDSK, assim como seu antecessor, procura e corrige erros nos arquivos do seu disco rígido.

APRENDA A USAR O CHKDSK

Embora o uso de partição NTFS dê segurança total aos arquivos armazenados no disco rígido e o uso do CHKDSK seja cada dia mais raro, o uso dele é importante quando o disco rígido tem algum problema ou você desconfia disso. Nesse caso o CHKDSK é a melhor opção para recuperação de dados por ele ser uma aplicação do próprio Windows.

Aprenda a usar o CHKDSK e resolva problemas do seu HD Aprenda a usar o CHKDSK e resolva problemas do seu HD - {focus keyword}

SINTAXE

chkdsk [volume:] [caminho e nome_de_arquivo] [/f] [/v] [/r] [/x] [/i] [/c][/l[:tamanho]]

Parâmetros
volume Especifica a letra da unidade (seguida de dois-pontos), o ponto de montagem ou o nome do volume.

[caminho] nome_de_arquivo especifica o local e o nome de um arquivo ou conjunto de arquivos que chkdsk deve verificar para determinar se há fragmentação. Você pode utilizar caracteres curingas (isto é, * e ?) para especificar vários arquivos.

/f Corrige erros no disco. O disco deve ser bloqueado. Se chkdsk não puder bloquear a unidade, será exibida uma mensagem perguntando se você deseja verificar a unidade na próxima vez que reiniciar o computador.

/v Exibe o nome de todos os arquivos contidos em cada pasta à medida que o disco é verificado.

/r Localiza setores defeituosos e recupera informações legíveis. O disco deve ser bloqueado.

/x Use esta opção somente com o NTFS. Ela força primeiro a desmontagem do volume, se necessário. Todos os identificadores abertos para a unidade serão invalidados. A opção /x também inclui a funcionalidade da opção /f.

/i Use esta opção somente com o NTFS. Efetua uma verificação menos rígida das entradas de índice, reduzindo o tempo necessário para a execução de chkdsk.

/c Use esta opção somente com o NTFS. Ela ignora a verificação de ciclos dentro da estrutura de pastas, reduzindo o tempo necessário para a execução de chkdsk.

/l[:tamanho] Use esta opção somente com o NTFS. Ela utilizará o tamanho digitado por você em vez do tamanho do arquivo de log. Se você omitir o parâmetro de tamanho, /l exibirá o tamanho atual.

LEIA
Como Alterar o tempo limite do Chkdsk ao iniciar o Windows

/? Exibe informações de ajuda no prompt de comando.

UTILIZAÇÃO DO CHKDSK

Executando chkdsk 
Para executar o comando chkdsk em um disco fixo, é necessário ser membro do grupo Administradores. Tradução: para executá-lo, a melhor opção é executar o Prompt de Comando rodando como Administrador:

Aprenda a usar o CHKDSK e resolva problemas do seu HD Aprenda a usar o CHKDSK e resolva problemas do seu HD - {focus keyword}

Verificando uma unidade bloqueada durante a reinicialização  

Para que chkdsk corrija erros no disco, os arquivos não podem estar abertos na unidade. Se os arquivos estiverem abertos, a seguinte mensagem de erro será exibida:

Não é possível executar CHKDSK porque o volume está em uso por outro processo. Deseja agendar a verificação deste volume para a próxima vez em que o sistema for reiniciado? (S/N)

Se você optar pela verificação da unidade na próxima vez que o computador for reiniciado, chkdsk verificará a unidade e corrigirá os erros automaticamente quando o computador for reiniciado. Se a partição da unidade for uma partição de inicialização, chkdsk reiniciará automaticamente o computador depois de verificar a unidade.

Reportando erros de disco 
O comando chkdsk examina o espaço em disco e a utilização do disco pelos sistemas de arquivos tabela de alocação de arquivos (FAT) e NTFS. Chkdsk fornece informações específicas de cada sistema de arquivos em um relatório de status. O relatório de status exibe os erros encontrados no sistema de arquivos.

Se chkdsk for executado sem a opção de linha de comando /f em uma partição ativa, ele poderá reportar erros indesejáveis, pois não conseguirá bloquear a unidade. Você deve utilizar o comando chkdsk em cada disco periodicamente para verificar se há erros.

Corrigindo erros de disco
O comando chkdsk só corrigirá erros de disco se você especificar a opção de linha de comando /f. É necessário que Chkdsk possa bloquear a unidade para corrigir os erros. Como a reparação geralmente altera a tabela de alocação de arquivos de um disco e, às vezes, causa perda de dados, chkdsk enviará uma mensagem de confirmação semelhante a esta:

LEIA
Como Alterar o tempo limite do Chkdsk ao iniciar o Windows

10 unidades de alocação perdidas encontradas em 3 cadeias.
Deseja converter cadeias perdidas em arquivos?

Se você pressionar S, o Windows salvará cada cadeia perdida na pasta raiz como um arquivo com um nome no formato de arquivo nnnn.chk. Quando chkdsk for concluído, você poderá verificar esses arquivos para descobrir se contêm quaisquer dados necessários. Se você pressionar N, o Windows corrigirá o disco, mas não salvará o conteúdo das unidades de alocação perdidas. Se você não usar a opção de linha de comando /f, chkdsk enviará uma mensagem se for necessário corrigir algum arquivo, mas não corrigirá nenhum erro.

Se você utilizar chkdsk /f em um disco muito grande (por exemplo, 70 GB) ou em um disco com um número muito grande de arquivos, o chkdsk poderá levar muito tempo (talvez vários dias) para ser concluído. O computador não ficará disponível durante esse período, porque chkdsk só liberará o controle depois de ser concluído.

Verificar um disco FA
Windows exibe relatórios de status de chkdsk referentes a um disco FAT no seguinte formato:

O número de série do volume é B1AF-AFBF
72.214.528 bytes de espaço total em disco
73.728 bytes em 3 arquivos ocultos
30.720 bytes em 12 pastas
11.493.376 bytes em 386 arquivos do usuário
61.440 bytes em setores defeituosos
60.555.264 bytes disponíveis no disco
2.048 bytes em cada unidade de alocação
35.261 unidades de alocação totais no disco
29.568 unidades de alocação disponíveis em disco

Verificando um disco NTFS 
O Windows exibe relatórios de status de chkdsk referentes a um disco NTFS no seguinte formato:

O tipo do sistema de arquivos é NTFS.

CHKDSK está verificando os arquivos…
Verificação de arquivos concluída.
CHKDSK está verificando índices…
Verificação dos índices concluída.
CHKDSK está verificando os descritores de segurança…
Verificação de descritores de segurança concluída.
12.372 quilobytes de espaço total em disco.
3 KB em 1 arquivo do usuário.
2 KB em 1 índice.
4.217 KB em uso pelo sistema.
8.150 KB disponíveis em disco.
512 bytes em cada unidade de alocação.
24.745 unidades de alocação totais no disco.
16.301 unidades de alocação disponíveis em disco.

Usando chkdsk com arquivos abertos
Se você especificar a opção de linha de comando /f, chkdsk enviará uma mensagem de erro se forem encontrados arquivos abertos no disco. Se você não especificar a opção de linha de comando /f e existirem arquivos abertos, chkdsk poderá reportar a existência de unidades de alocação perdidas no disco. Isso poderá acontecer se os arquivos abertos ainda não tiverem sido gravados na tabela de alocação de arquivos. Se chkdsk reportar a perda de uma grande quantidade de unidades de alocação, á aconselhável reparar o disco

LEIA
Como Alterar o tempo limite do Chkdsk ao iniciar o Windows

Localizando erros de disco físicos
Utilize a opção de linha de comando /r para localizar erros de disco físicos no sistema de arquivos. Para obter informações sobre como recuperar arquivos fisicamente danificados com o comando recover, consulte Tópicos relacionados.

Reportando a existência de setores de disco defeituosos
Os setores defeituosos reportados por chkdsk foram marcados como defeituosos quando o disco foi preparado para ser utilizado pela primeira vez. Eles não oferecem perigo.

Noções básicas sobre códigos de saída 
A tabela a seguir lista os códigos de saída reportados por chkdsk após sua conclusão.

0: Não foram encontrados erros.
1: Foram encontrados erros e corrigidos.
2: A limpeza de disco, como a coleta de lixo, foi efetuada, ou a limpeza não foi efetuada porque /f não foi especificado.
3: Não foi possível verificar o disco, não foi possível corrigir os erros ou os erros não foram corrigidos porque a opção /f não foi especificada.

Como criar seu próprio servidor de arquivos em casa

Guardar seus arquivos de forma segura nunca foi tão fácil. Quem não gosta de armazenar seus dados com métodos tradicionais (pendrives, CDs, DVDs e HDs portáteis) pode muito bem usufruir de uma enorme variedade de serviços de armazenamento na nuvem como Dropbox, Google Drive e SkyDrive.
Contudo, digamos que você quer mais, muito mais. Não quer depender de servidores terceirizados, que podem muito bem apresentar problemas e sumir com seus documentos confidenciais em questão de pouquíssimos minutos. Embora seja pouco provável que os gigantescos datacenters da Microsoft ou da Google apresentem problemas, os mais neuróticos sempre mantêm essa possibilidade em mente.
Sendo assim, que tal montar seu próprio servidor de arquivos? Além de ser fácil e rápido, o procedimento é bastante barato, visto que você pode usar peças de PCs antigos que você não utilize mais (ou comprá-las em lojas de artigos usados). Além de armazenar de forma mais segura e privada os seus dados importantes, você também pode usar seu servidor para hospedar sites (economizando aquela graninha que você gastava no seu host). O Mr Claytonet ensina a você como fazer tudo isso em apenas sete passos simples! Confira.

(Fonte da imagem: Reprodução/Baixando Wallpapers)

1) Monte o hardware
Você se lembra daquele computador antigo que você não usa mais e que está acumulando pó desde o ano passado? Hora de revivê-lo e dar um novo trabalho para o bom velhinho. Caso você seja menos apegado e já tenha se livrado da sua máquina anterior, o jeito é montar um PC especialmente para o servidor adquirindo algumas peças que podem ser facilmente encontradas em lojas de artigos de informática. Dar uma conferida em e-commerces de usados também é uma boa pedida (sim, estamos falando do Mercado Livre). Basicamente, você vai precisar de:
Uma placa-mãe (não precisa ser um modelo muito recente);
Um processador de pelo menos 2 GHz ;
No mínimo 512 MB de memória RAM;
Um disco rígido da quantia que você desejar. Que tal 1 TB?
Fazendo uma rápida pesquisa na internet, é possível realizar uma cotação bastante precisa dos gastos desse servidor. Uma placa-mãe razoável gira em torno de R$ 199; um pente de 512 MB de memória RAM pode ser encontrado facilmente por cerca de R$ 80. Caso esteja com o orçamento apertado, opte por um Intel Celeron (cerca de R$ 100) na hora de comprar o processador. Se estiver com um pouquinho mais de grana para investir, opte por um Intel Dual Core E3300 (entre R$ 149 e R$ 199).
Por fim, chegamos ao item mais importante: o disco rígido. Um bom HD Seagate de 1 TB e 7200 RPM pode ser encontrado por pelo menos R$ 220. Se 500 GBs foram o suficiente para você, basta reservar R$ 150 por um drive da mesma marca. Quanto gastamos ao todo? Cerca de R$ 700.

(Fonte da imagem: Reprodução/Wikimedia)

2) Instale Linux
Não importa se você é um fã da Microsoft e não consegue se desapegar do clássico sistema operacional Windows: é necessário instalar o Linux para fazer seu servidor funcionar corretamente. Recomendamos que opte pelas distribuições Ubuntu ou Xubuntu. Ambas são completamente gratuitas e razoavelmente leves, não ocupando muito espaço em seu precioso disco rígido.
Instale a ISO gravando-a em um CD/DVD ou através de um pendrive bootável – clique aqui para aprender como fazê-lo, caso ainda não saiba. Importante: para os próximos passos deste tutorial, considere que utilizamos o Ubuntu 12.04 (um dos mais populares) para descrever as ações que você fará. Instalamos o SO em português.

(Fonte da imagem: Reprodução/HiTrend)

3) Limpe o sistema operacional
Qualquer distro Linux vem repleta de softwares adicionais que devem ser desinstalados antes que você prossiga. Utilize o Synaptic (gerenciador de pacotes também incluso nas distribuições) para desinstalar programas como AbiWord, OpenOffice/LibreOffice, Thunderbird, Gaim, GIMP, Firefox, Rhythmbox etc.
Em seguida, cheque se o sistema operacional não possui atualizações disponíveis. Se houver, baixe e instale todas por questões de segurança, garantindo a estabilidade do seu servidor. Por fim, desative o bloqueio de tela (através do menu Configurações do sistema > Brilho e bloqueio).
4) Configure o compartilhamento de arquivos
Tudo pronto, hora de iniciar as configurações e todo o trabalho pesado. Antes de tudo, instale o Samba, o programa que fará seu computador atuar como servidor e permitir o compartilhamento de arquivos em rede. Você pode consegui-lo através do próprio Synaptic (pesquisando novas aplicações e marcando-o para instalação) ou pela Central de Programas do Ubuntu. O app também está disponível no Baixaki.

(Fonte da imagem: Reprodução/iMasters)

Abra o terminal (Painel de controle > Terminal ou hotkey Ctrl+Alt+T) e digite sudo su para entrar no modo root. Será necessário reinserir a sua senha. Entre no diretório de instalação do Samba digitando cd /etc/samba. Escreva nano smb.conf e aperte Enter para iniciar o processo de configuração.
Apague todo o texto do documento (segure as teclas Ctrl+K até deletar tudo) e cole/digite o texto que pode ser encontrado neste link (substituindo “Name” e “Server Name” com o nome de usuário e nome da máquina). Salve o documento (Ctrl+O) e feche-o (Ctrl+X). É necessário especificar uma senha para acessar o Samba; para isto, digite o comando sudo smbpasswd -a. Por fim, reinicie os processos do programa, escrevendo sudo restart smbd e sudo restart nmbd.


5) Adicionando capacidade FTP
Abra o terminal outra vez (novamente: Painel de controle > Terminal ou hotkey Ctrl+Alt+T) e ganhe acesso root de novo (digitando sudo su e inserindo sua senha do SO). Escreva o comando sudo apt-get install proftpd para instalar o software ProFTPD. Quando você for questionado sobre o tipo de servidor que deseja configurar, escolha a opção “Standalone”.
Mude para o diretório de instalação com a mensagem cd /etc/proftpd/. Configure-o digitando o comando sudo nano /etc/proftpd/proftpd.conf. Substitua todo o conteúdo do arquivo que se abre pelo código que pode ser encontrado neste link.
Salve as configurações (Ctrl+O e em seguida Ctrl+X) e reinicie o servidor, inserindo o comando /etc/init.d/proftpd restart.


6) Configure o acesso Shell (SSH)
Ainda no terminal e em modo root, instale o OpenSSH (apt-get install openssh-server) e o VNC Server (sudo apt-get install vnc4server). Configure uma senha para este último aplicativo (digite vncpasswd e insira duas vezes uma senha de 6 caracteres). Crie um comando de login personalizado digitando sudo nano /usr/local/bin/sharex11vnc. Um novo arquivo será aberto e você deve colar/digitar o seguinte conteúdo dentro dele:
#!/bin/sh
x11vnc -nap -bg -many -rfbauth ~/.vnc/passwd -desktop “VNC ${USER}@${HOSTNAME}” \
|grep -Eo “[0-9]{4}”>~/.vnc/port
Calma, ainda não acabou! Defina os direitos do usuário através do comando sudo chmod 755 /usr/local/bin/sharex11vnc. Feche o terminal e permita que o script do VNC Server recém-criado seja iniciado junto ao Linux: percorra o caminho Painel de Controle > Aplicativos de Sessão e clique no botão “Adicionar”. Escreva sharex11vnc nos dois primeiros campos da janela que se abre e dê um “Ok”.
Por fim, ative o login automático de sua conta no Ubuntu (percorrendo o caminho Aplicações > Configurações > Contas de Usuário e marcando a caixa de seleção “Iniciar sessão automaticamente”).


7) Divirta-se!
Finalmente, seu servidor está pronto, com todos os softwares configurados e login automático ativado! Retire todos os componentes inúteis da máquina (mouse, teclado, monitor e até mesmo o leitor/gravador de CD e DVD) e plugue o cabo de internet (não é recomendado utilizar conexão WiFi).
Para se conectar ao seu servidor, você pode usar diversos programas como o PuTTy ou o FileZilla. Na maioria das vezes, tudo o que você precisa fazer é definir o endereço IP do servidor (você deve conferir essa informação antes a partir do PC com Linux), informar a porta (5900) e o destino (localhost:5900).
Lembre-se também de que você pode instalar complementos à vontade de acordo com sua necessidade, como TorrentFlux, Apache, MySQL e phpMyAdmin.

FONTE(S): INTAC