WhatsApp: como recuperar mensagens apagadas em seu Android

WhatsApp é um dos mensageiros mais populares da atualidade, e serviços dedicados à troca de conversas geralmente contam com mecanismos que permitem a exclusão de diálogos para proteção da privacidade. No entanto, e se for preciso restaurar dados apagados? A verdade é que o WhatsApp possui restrições quanto à sua capacidade de recuperação de mensagens.Mas o drama de quem precisa resgatar o que foi dito e então excluído através do WhatsApp está prestes a acabar. É que um gerenciador de dados promete recuperar mensagens que foram apagadas. Vale notar, porém, que a execução dos passos descritos a seguir pode não restaurar todo o seu bate-papo.Durante nossos testes, as mensagens foram devidamente recuperadas. Assim, se você realmente precisa resgatar aquela mensagem deletada, seguir as dicas a seguir pode ser uma das suas melhores opções. Atenção: para que os textos possam ser recuperados, o WhatsApp deverá ser desinstalado. Portanto, certifique-se de fazer seus backups, e mãos à obra.

Passo 1 – Desinstale o app

Se sua mensagem foi trocada no período de até 24 horas, basta desinstalar e instalar novamente o aplicativo. Durante o processo de reinstalação, uma mensagem vai sugerir a restauração de mensagens. Basta tocar em “Recuperar” e pronto: nenhum app alternativo terá de ser instalado. Porém, se a conversa a ser resgatada aconteceu há mais tempo, um gerenciador de arquivos precisa ser baixado via Google Play, e seu WhatsApp deverá ser desinstalado.

Passo 2 – Instale o Gerenciador de Arquivos

O Gerenciador de Arquivos (ou Clean File Manager) é, justamente, um software que permite acesso às pastas de dados do sistema Android – outra opção de gerenciador de arquivos é o Web PC Suite, que precisa ser operado por meio de um computador.Uma vez desinstalado o WhatsApp e baixado o Gerenciador de Arquivos (clique aqui), o local de armazenamento de dados de seu Android deverá ser acessado.
Abra o aplicativo e selecione “Memória do sistema” ou “Memória interna” – em nosso caso, a segunda opção foi marcada. Vá até a pasta “WhatsApp” e, em seguida, toque sobre “Databases” – este é o local em que as mensagens trocadas ficam armazenadas.

Passo 3 – Altere o nome dos arquivos

Os arquivos hospedados na pasta “Databases” correspondem às suas conversas. Porém, para que a restauração possa ser feita, os registros terão de ser renomeados. Acontece que cada um deles possui uma data – veja o exemplo abaixo, com as datas do mês de janeiro.

Em vermelho, os arquivos de conversas passadas; em azul, a conversa atual, que pode ser renomeada (em nosso caso, complementamos com “hoje”).
O truque está aqui: no momento em que você instalar novamente o WhatsApp, a restauração de conversas será sugerida. Acontece que apenas o arquivo do dia pode ser resgatado, e o documento sem data na pasta “Databases” é que corresponde à sua conversa atual. Para que você não perca seu backup, sugerimos a renomeação do registro – em nosso caso, renomeamos o documento para “hoje”.
Mas como recuperar as conversas de, por exemplo, nove dias atrás? Selecione o arquivo na pasta “Databases” de um dia determinado e, então, remova os números que indicam a data. Esse processo fará com que o WhatsApp identifique a conversa editada como sendo a mais recente.

Remova os números da data e faça com que o WhatsApp “pense” que a sua conversa atual é aquela que foi deletada.

Passo 4 – Reinstale o WhatsApp

Baixe novamente o e WhatsApp, durante a instalação, selecione a opção “Recuperar”. O aplicativo vai resgatar sua conversa mais recente, indicada pelo arquivo editado como o descrito pelo passo anterior.
Seus diálogos atuais podem ser consultados também através do app Gerenciador de Arquivos – em nosso exemplo, a palavra “hoje” foi inserida junto do nome do arquivo correspondente às mensagens do dia (ver passo anterior).

10 truques para usar melhor o WhatsApp

Uma lista com 10 truques que você talvez não conheça pode melhorar sua experiência no aplicativo. É possível, por exemplo, recuperar mensagens apagadas, bloquear o acesso de pessoas estranhas às conversas e até agendar mensagens. Confira:

1. Mude o número do seu WhatsApp

Quem já usou vários números no mesmo aparelho provavelmente já se deparou com o seguinte problema: ao passar o telefone a uma pessoa, teve que dar o número do chip e  o que está sincronizado com o WhatsApp. Para resolver o problema, há duas maneiras: desinstalar e instalar novamente o app (a mais difícil) ou alterar dentro do próprio programa.

Em ‘Ajustes’, clique em ‘Conta’ e em ‘Alterar número’. Depois de alterar o telefone, o usuário receberá um código via SMS que será validado dentro das configurações. Os grupos e contatos serão mantidos e o número anterior será substituído pelo novo em conversas coletivas.

2. Desative o ‘visto por último’

Android e iOS permitem desativar o recurso que mostra quando o app foi aberto pela última vez. Clique em ‘Ajustes’ e em ‘Conta’ e depois em ‘Privacidade’. Desative o ‘Visto por último’ para todos os contatos. Mas lembre-se: quando estiver online, as pessoas conseguirão ver.

3. Bloqueie o app quando não quiser que outras pessoas o vejam

Existem diversos aplicativos para Android e iOS que permitem que o usuário bloqueie todas as conversas quando alguém desautorizado quiser vasculhar. Segundo o próprio WhatsApp, existem diversas opcões de apps para Android que realizam a tarefa. Confira todas elas aqui.

4. Arquive todas as conversas

O recurso de backup automático do WhatsApp salva todas as conversas e permite restaurá-las caso o app seja desinstalado ou o usuário mude de número. É possível realizar a atividade manualmente, escolher com que frequência a tarefa será realizada e até desativar o recurso.

5. Acesse as mensagens apagadas (Android)

Pelo Android, é possível acessar as mensagens apagadas porque elas ficam armazenadas no cartão de memória, que os iPhones não possuem. Vá até a pasta ‘WhatsApp’ do cartão SD e clique em ‘Databases’. Lá dentro, é possível ver arquivos como ‘msgstore-2015-01-04.1.db.crypt’. Como é fácil perceber, elas indicam a data em que foram criadas. Na pasta também fica um arquivo chamado ‘msgstore.db.crypt’. Altere seu nome para algo como ‘backup-msgstore.db.crypt’.

Depois de renomear o arquivo, basta alterar a conversa com a data desejada e o renomeie para msgstore.db.crypt. A última etapa é ir abrir as configurações do celular. Em ‘Aplicativos’, ‘Gerenciar Aplicativos’ e ‘WhatsApp’, clique em limpar todos os dados.

Quando abrir o WhatsApp, o app vai pedir que o usuário restaure as informações a partir da cópia de segurança. Clique em ‘Restaurar’ e tudo voltará ao normal.

6. Oculte sua foto de perfil para quem não está em sua lista de contatos

No menu de privacidade, selecione ‘Apenas contatos’ em ‘Foto do perfil’.

7. Agende uma mensagem pelo WhatsApp (Android)

O aplicativo Seebye Scheduler permite agendar mensagens para enviar aos contatos da lista.Mas preste atenção: é preciso ter o acesso root habilitado no telefone.

8. Receba as notificações do celular no PC

Para usar o WhatsApp pelo computador basta acessar o WhatsApp Web, mas é necessário ficar com o site aberto para visualizar as notificações. Outra opção é o Pushbullet, que consegue fazer a ligação entre seu computador e seu celular, para que o usuário verifique as notificações diretamente no seu desktop sem a necessidade de olhar para o celular. Assim, quando chegar alguma mensagem do WhatsApp, ela deve aparecer no computador por meio de uma extensão para o navegador.

9. Impeça o download automático de mídia para o celular

Desative o item ‘Salvar Mídia Recebida’ em ‘Ajustes de Conversa’ e economize espaço no aparelho, escolhendo apenas as imagens que deseja baixar.

10. “Engane” a confirmação de leitura

Para visualizar uma mensagem sem confirmar sua leitura, ative o modo avião quando recebê-la. Abra naturalmente o WhatsApp e leia o que desejar. Atenção: em celulares Android, ao reativar o celular, as barras azuis aparecerão automaticamente.  No iOS isso só vai acontecer quando o usuário realmente abrir o aplicativo.

Se preferir, é possível desativar de vez a confirmação de leitura. Vá em “Ajustes”, “Conta” e “Privacidade” e desative a confirmação de leitura. Ao fazer isso, não será possível visualizar a confirmação de itens enviados aos seus contatos. A confirmação em grupos, no entanto, será mantida.

Como instalar o WhatsApp no computador

O WhatsApp é um aplicativo gratuito de troca de mensagens que, a princípio, está disponível apenas para smartphones. Entretanto, se você não possui um celular poderoso com Android ou iOS (iPhone) e suporte ao app é possível usar uma versão alternativa de “WhatsApp para PC”.

Para acessar o mensageiro no computador, é preciso cadastrar um novo número caso ainda pretenda usar o aplicativo no seu celular. Uma vez que o WhatsApp não permite que o acesso sincronizado de uma conta em vários dispositivos ao mesmo tempo. Veja neste tutorial do TechTudo como instalar o WhatsApp no seu PC com Windows e usá-lo em tela grande.
WhatsApp no smartphone também pode ser usado no computador
Passo 1. Baixe e instale o BlueStacks App Player, aplicativo que emula o Android no PC com Windows. Para mais informações, acesse esse outro tutorial para rodar apps no computador;
Passo 2. Ao concluir a instalação e configuração do BlueStacks, clique sobre o botão azul de uma lupa para pesquisar por aplicativos;

Página inicial do BlueStacks (Foto: Reprodução/Helito Bijora)
Página inicial do BlueStacks
Página inicial do aplicativo BlueStacks para emular Android no computador
Passo 3. Na janela que se abre, digite “WhatsApp” (sem as aspas) e clique em “Find” (buscar);

Buscando por aplicativos (Foto: Reprodução/Helito Bijora)
Buscando por aplicativos
Busca pelo WhatsApp na lista de aplicativos
Passo 4. O BlueStacks permite que o usuário instale aplicativos de diversas lojas. Sempre que possível, prefira a loja oficial do Google (Google Play Store). Para continuar, clique sobre o ícone “WhatsApp Messenger”;

Instalando app do Android Market (Foto: Reprodução/Helito Bijora)
Instalando app do Android Market
Instalando o whatsApp da loja de aplicativos Android
Passo 5. Caso seja o primeiro aplicativo que você está instalando, é necessário concordar com os termos de serviço do Google Play. Para isso, clique em “Aceitar”;

Antes de prosseguir, é necessário concordar com os termos (Foto: Reprodução/Helito Bijora)
Antes de prosseguir, é necessário concordar com os termos
Antes de prosseguir, é necessário concordar com os termos para usar o WhatsApp (Foto: Reprodução/Helito Bijora)
Passo 6. Na página do WhatsApp, clique em “Instalar”;

Página do WhatsApp no Google Play (Foto: Reprodução/Helito Bijora)
Página do WhatsApp no Google Play
Instalação do WhatsApp na página do Google Play
Passo 7. Para dar início a instalação, clique em “Aceitar e fazer download” e aguarde até que o aplicativo seja baixado e instalado;

Instalando WhatsApp no BlueStacks (Foto: Reprodução/Helito Bijora)
Instalando WhatsApp no BlueStacks
Clique em “Aceitar e fazer download” para concluir o processo e baixar o WhatsApp no computador
Passo 8. Quando o Android informar que o WhatsApp foi instalado no computador, clique no botão central que aparece na base da janela para acessar o menu do BlueStacks. Na página inicial, clique em “My Apps” para ver todos os seus aplicativos instalados no computador;

Aplicativos instalados (Foto: Reprodução/Helito Bijora)
Aplicativos instalados
Acesse a página de aplicativos instalados e procure pelo WhatsApp (Foto: Reprodução/Helito Bijora)
Passo 9. Por fim, clique em “WhatsApp” para abrir o aplicativo.

WhatsApp rodando no computador (Foto: Reprodução/Helito Bijora)
WhatsApp rodando no computador
Por fim, o WhatsApp pode ser acessado pelo computador
Pronto. O WhatsApp está instalado e, após a configurá-lo utilizando seu número de telefone, pode ser usado normalmente, como se você estivesse em um celular (no caso, um Android).

Celular Java roda WhatsApp? Conheça as alternativas para usar o aplicativo

O WhatsApp possui versões para diversos sistemas operacionais de smartphones, como Android, iOS,BlackBerry e Symbian. Entretanto, há versões também para celulares comuns, os featurephones, popularmente chamados de “celulares Java”. Confira agora dicas de como utilizar o WhatsApp em celulares Java e veja também alternativas caso seu celular não seja compatível com o app.

Versão do WhatsApp para celulares Java existe é compatível com celulares da Nokia (Foto: Montagem / Dario Coutinho)Versão do WhatsApp para celulares Java existe é compatível com celulares da Nokia (Foto: Montagem / Dario)

Como instalar o WhatsApp em celulares S40 da Nokia

O WhatsApp possui uma versão oficial e exclusiva para os celulares da Nokia com sistema S40. Desde aparelho antigos como o Nokia C3 até modelos mais recentes como Asha 311, é possível o WhatsApp direto do site do aplicativo. Veja como nos passos a seguir:

Passo 1. Baixe o WhatsApp para Java através do seu celular Nokia com S40;

Passo 2. Ao acessar o site, clique na opção “Baixar Agora”. O site se encarrega de direcionar para versão correta, bastando clicar no botão de download para iniciar o mesmo. Fazendo isso, ele irá baixar a versão oficial do WhatsApp para o seu celular Java.

Passo 3. Confirme o download clicando em “Aceitar”. Será efetuado o download de um arquivo de 1,1 MB.

Passo 4. Ao iniciar o aplicativo, confirme o número do seu telefone através de um SMS e você já terá o WhatsApp em seu celular com Java da Nokia.

Oficialmente, o WhatsApp oferece suporte para celulares antigos da Nokia, como o popular Nokia C3, e alguns mais recentes, como os da linha Nokia Asha. Entre os compatíveis estão o Asha 201, o Asha 305,Asha 310 e Asha 311. A lista completa você confere na imagem abaixo.

Aparelhos com S40, os "celulares comuns", que rodam o WhatsApp (Foto: Arte/TechTudo)Aparelhos com S40, os “celulares comuns”, que rodam o WhatsApp (Foto: Arte/TechTudo)

Em sua versão para celulares comuns, o WhatsApp possui algumas limitações, dependendo do modelo de celular S40. Uma delas limitações é na hora de receber ou enviar vídeos e imagens. Contudo, o aplicativo permite enviar mensagens de texto no lugar de SMS, que é justamente um dos principais destaques do WhatsApp. É preciso estar atento para o fato de que a operadora Vivo não possui suporte para a versão Java do WhatsApp.

Em celulares da Nokia que pertencem à linha Asha e que não possuem o WhatsApp por padrão, você também poderá baixar o WhatsApp através de uma atualização do sistema operacional. A atualização pode ser realizada diretamente pelo telefone, via OTA.

O WhatsApp também está disponível em  smartphones antigos com o sistema Symbian. A versão do WhatsApp diposnível para Nokia N95, 5530, 5230, N73 e similares é bastante boa.

Instalando o WhatsApp no PC

Infelizmente, ainda não há versão do aplicativo oficial do WhatsApp para outros modelos de celulares Java que não sejam da Nokia. Na web, há vários links para soluções não-oficiais que apontam para aplicativos que não são o WhatsApp. A recomendação é não baixar aplicativos em sites desconhecidos pela possibilidade de conter vírus ou outras pragas virtuais.

Caso não possua um smartphone ou celular Java da Nokia, você ainda poderá instalar o WhatsApp em um computador. Embora não seja a solução mais elegante, ainda permite ficar em contato com quem possui WhatsApp, assim como mandar e enviar mensagem com imagens e vídeos.

WhatsApp: Justiça concede liminar para restabelecer aplicativo no Brasil

 17/12/2015 12h39

Ícone do aplicativo de conversa Whatsapp em um smartphone (Foto: Fábio Tito/G1)Justiça concede liminar para restabelecer WhatsApp no Brasil (Foto: Fábio Tito/G1)

Uma decisão desta quinta-feira (17) da 11ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça determinou o restabelecimento do aplicativo de mensagens WhatsApp no Brasil. As operadoras de telefonia móvel ainda vão ser notificadas da determinação. O recurso será analisado pela 11ª Câmara Criminal.

 

WHATSAPP
App é bloqueado por 48h, decide Justiça

De acordo com a decisão do desembargador Xavier de Souza, “em face dos princípios constitucionais, não se mostra razoável que milhões de usuários sejam afetados em decorrência da inércia da empresa” em fornecer informações à Justiça.

Em nota publicada no site do Tribunal de Justiça de São Paulo, o desembargador afirma ainda que “é possível, sempre respeitada a convicção da autoridade apontada como coatora, a elevação do valor da multa a patamar suficiente para inibir eventual resistência da impetrante”.

O caso
Na quarta-feira (16), as principais operadoras de telefonia móvel do Brasil foram intimadas pela Justiça a bloquear o WhatsApp em todo o território nacional por 48 horas. O bloqueio começou a valer à 0h de quinta (17).

O recebimento da determinação judicial foi confirmado pelo Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e de Serviços Móvel Celular e Pessoal, o SindiTelebrasil, que representa as operadoras Vivo, Claro, Tim, Oi, Sercomtel e Algar.

O Tribunal de Justiça de São Paulo afirma que a decisão partiu da 1ª Vara Criminal de São Bernardo do Campo e corre em segredo de justiça em uma ação criminal. Segundo o TJ-SP, o WhatsApp não atendeu a uma determinação judicial de 23 de julho de 2015. A empresa foi notificada mais uma vez em 7 de agosto, com uma multa fixada em caso de não cumprimento.

O WhatsApp não atendeu à determinação novamente, de acordo com o TJ-SP. Por isso, “o Ministério Público requereu o bloqueio dos serviços pelo prazo de 48 horas, com base na lei do Marco Civil da internet”.

Eduardo Levy, presidente do SindiTeleBrasil, diz que as operadoras são obrigadas a atender a determinação e que não é do interesse delas bloquear o WhatsApp no país. “Temos interesse em regras que sejam mais leves para o setor”, disse Levy ao G1.

Histórico
Essa não é a primeira tentativa de bloquear o WhatsApp no país. Em fevereiro, um juiz de Teresina (PI) determinou que as operadoras suspendessem temporariamente o acesso ao app de mensagens.

O motivo seria uma recusa do WhatsApp em fornecer informações para uma investigação policial que vinha desde 2013.

Do G1, em São Paulo

Bloqueio do WhatsApp: Zuckerberg lamenta pelo Brasil

Bloqueio do WhatsApp pegou muita gente de surpresa. De acordo com decisão judicial, o WhatsApp sairia do ar a partir da zero hora de quinta-feira.

Nesta quinta-feira (17), Mark Zuckerberg, CEO do Facebook, disse através de nota que hoje é “um dia triste para o país”. O texto foi publicado na sua conta na rede social. Vale notar que o Facebook revelou a compra do WhatsApp em fevereiro de 2014, em uma transação de US$ 22 bilhões.

Veja como desbloquear o WhatsApp.

Os usuários do WhatsApp no Brasil receberam uma mensagem do Facebook:  “Estamos trabalhando para restaurar o WhatsApp. Enquanto isso, use o Messenger”.

De acordo com decisão judicial, o WhatsApp sairia do ar a partir da zero hora de quinta-feira, no entanto, alguns usuários relataram que a partir de 23h30 o aplicativo começou a falhar.

As operadoras de celular foram intimadas pela justiça a bloquear o serviço de aplicativo de mensagem em todo o Brasil por 48 horas, a partir da 0h desta quinta-feira.

O Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) afirma que a decisão partiu da 1ª Vara Criminal de São Bernardo do Campo, no ABC paulista, e corre em segredo de justiça em uma ação criminal.

De acordo com o TJ-SP, o WhatsApp não atendeu a uma determinação judicial de 23 de julho de 2015. Sendo que a empresa foi notificada mais uma vez em 7 de agosto, com multa fixada caso descumprisse a decisão.

Conforme o TJ-SP,  “o Ministério Público requereu o bloqueio dos serviços pelo prazo de 48 horas, com base na lei do Marco Civil da internet”, após o descumprimento da decisão.

Leia a mensagem de Mark Zuckerberg sobre o bloqueio do WhatsApp:

WhatsApp X Operadoras: número de telefone pertence ao consumidor

whatsapp

A polêmica sobre o WhatsApp e outros serviços definidos pela Lei Geral de Telecomunicações genericamente intitulados “Over the Top” (OTT), parece estar bem longe do fim. A recente declaração do presidente da Vivo de que a Anatel “precisa sair da zona de conforto”, demonstra um tom de descontentamento com a Agência, que a meu ver tem se posicionado corretamente quanto ao entendimento que as aplicações dos smartphones (WhatsApp, Skype, Viber entre outros) são consideradas serviço de valor adicionado e, por isso, não compete à Anatel ingerência sobre o assunto.

Outra declaração da liderança da Vivo, a meu ver sofismática, trata da questão de âmbito técnico e financeiro, diz respeito às taxas de Fistel. Alega a Vivo “possuir” o plano de numeração e pagar taxas de Fistel de todos seus números ativos (o que é verdade), presumindo em decorrência disso, prerrogativas absolutas sobre o uso, gozo e fruição decorrentes do direito adquirido sobre o plano de numeração em virtude da concessão de um serviço público de telecomunicações, da qual é uma concessionária.

Pois bem. Sob a ótica do consumidor, no entanto, o plano de numeração pode ser interpretado como um mero instrumento de acesso ao serviço de telefonia móvel, seguindo inclusive padrões internacionais, no caso das ligações telefônicas internacionais, cuja metodologia é definida pela UIT – União Internacional de Telecomunicações. Nesse contexto, o número não pertence à operadora de telefonia, tanto que é assegurado ao consumidor a portabilidade do número para qualquer operadora, a qualquer momento. Entendo igualmente que ao pagar o plano de dados da operadora, o consumidor tem direito de usar os aplicativos que bem entender. É assim em todos os países do mundo, por que no Brasil seria diferente?

Quanto à natureza das taxas de Fistel, essas objetivam financiar a atividade fiscalizadora da Anatel nos equipamentos de telecomunicações e torres que possibilitam o funcionamento do sistema de telefonia móvel em território nacional. São elas: taxa de fiscalização de instalação e taxa de fiscalização de funcionamento, ambas reguladas por lei federal. Seu pagamento, portanto, faz parte da universalidade de obrigações adquiridas por força da concessão de um serviço público, sendo pagas indiretamente pelo consumidor, assim como Fust, Funttel, ICMS, dentre outros. Dessa forma, claro está que a natureza do tributo é desvinculada do pretenso direito de “propriedade” do Plano de Numeração. Aliás, dar azo a esse entendimento, implica em revogar em parte a prerrogativa da portabilidade, que tantos benefícios trouxe ao consumidor de telefonia móvel, o que seria um grande retrocesso.

Por derradeiro, algumas das operadoras nacionais (Claro e Tim, por exemplo) veem no WhatsApp e nas redes sociais uma oportunidade de ampliar sua base de clientes, e para tanto, tem ofertado pacotes especiais de dados com franquia livre para esses aplicativos. Ora, se as OTT’s estão estimulando a concorrência entre as operadoras por que a Anatel deveria intervir? Nada melhor para o caso que aplicar o laissez faire (expressão símbolo do liberalismo econômico, na versão mais pura de capitalismo de que o mercado deve funcionar livremente),deixar o mercado se ajustar. Intervir o mínimo possível no mercado é regular consoante boas práticas das melhores agências de telecomunicações do mundo.

Ante o exposto, cabe lembrar que o uso crescente de dados pelos usuários de telefonia móvel recentemente causou reação das operadoras que passaram a bloquear os pacotes de dados (antes somente reduziam a velocidade), forçando os consumidores a migrarem para pacotes mais caros. Ou seja, do ponto de vista econômico, as operadoras indiretamente já ” reajustaram” suas tarifas.

Em suma, neste caso, a Anatel tem agido em consonância com o princípio da legalidade, da livre concorrência e, por via oblíqua, em conformidade com os princípios basilares do Estado Democrático de Direito ao se abster da prática de atos administrativos incompatíveis com a Lei Geral de Telecomunicações. Mais que isso, tem cumprido seu dever com independência ao aplicar a lei de modo a salvaguardar os interesses do cidadão consumidor de serviços de telecomunicações, fim para o qual foi instituída.